04 setembro 2015

Narcos


Narcos - José Padilha - 2015 (Netflix)

Ao contar uma piada, a pessoa tenta ao máximo ser engraçado, muitas vezes acontece da piada ser ótima, mas o contador péssimo. Ou, o contrário.

Um filme é exatamente assim, por isso a importância tão forte do diretor. José Padilha é um excelente diretor de ação, mas Narcos depende muito mais de outras coisas para contar a incrível história de Pablo Escobar.

Ficam de fora da série como um homem devotado a família, aos filhos e, vá lá, a esposa, se transforma num dos maiores vilões da história do mundo. Essa pincelada psicológica, tão característica do cinema de David Fincher, por exemplo, é nula para o cineasta brasileiro. Se em Tropa de Elite ele se especializou em cenas de torturas e violência, em Narcos ele se diverte - até o "põe no saco" do Cap. Nascimento, é traduzido pro "poner en la bolsa".

Também se peca por uma câmera medrosa e arredia nas cenas mais chocantes, parece que ao ver o que se aproxima, viramos os olhos para não enxergar, fiquei com essa sensação em alguns momentos.

Porém essas imperfeições não estragam o resultado final, Narcos é uma série acertada para o formato e brilhantemente bem produzida.

Um comentário:

Kamila disse...

Não assisti ainda a "Narcos", mas já coloquei na minha lista do Netflix para ir assistindo aos poucos!