22 fevereiro 2018

Trama Fantasma

Phantom Thread - Paul Thomas Anderson - 2017 (Cinemas)

Me beije, minha garota, antes que eu fique doente.

Enquanto estava enfermo na cama, sua esposa, a atriz Maya Rudolph, cuidou dele com tanto carinho e atenção que o fez perceber o quanto de amor ela sentia por ele. A partir desse dia, Paul Thomas Anderson começou a escrever o roteiro de Trama Fantasma.

O casamento me transformará num falso e eu não quero isso.

Daniel Day-Lewis é um ícone do insólito. É um ator extraordinário, e não há quem discorde, fez pouquíssimos filmes em sua carreira - menos de 25, raramente faz aparições públicas quando não está divulgando um filme, e aos 60 anos acaba de anunciar sua aposentadoria. Além do trabalho de pesquisa para o filme, Day-Lewis colaborou com o roteiro.

O chá está saindo, mas a interrupção permanece aqui comigo.

Da última vez que estiveram juntos, Daniel Day-Lewis e Paul Thomas Anderson entregaram ao mundo Sangue Negro (2007), em Trama Fantasma a narrativa se muda para Londres na década de 50 e o petróleo é trocado pelos tecidos, porém a grande mudança é que agora é um filme de amor ao se debruçar no relacionamento do singular Reynolds Woodcock (Lewis), levemente baseado na vida do estilista espanhol Cristóbal Balenciaga (1895 - 1972), com a garçonete Alma (Vicky Krieps).

E quem é essa adorável criatura fazendo a casa cheirar tão bem.

E quem é Lesley Manville? Que atriz esplêndida, eu não via uma interpretação feminina assim desde Louise Fletcher em Um Estranho no Ninho (1975). Sua presença em cena é como um raio que cai, por menos tempo, mesmo que seja no fundo, atrás de coadjuvantes, ela se sobressai. É daquelas performances que entram na história da 7ª arte, aliás, como Louise.

É reconfortante pensar que os mortos estão vigiando a vida. Eu não acho isso assustador de maneira alguma.

Acompanhar a carreira de um cineasta do quilate de Paul Thomas Anderson é um privilégio que só nós poderemos ter. Seu auge, agora aos 47 anos, demonstra um diretor contido, extremamente sensível, que privilegia os atores e suas performances, que não necessita exibir suas habilidades e conhecimentos cinematográficos, ele simplesmente põe a história no centro e deixa a câmera rolar, e isso nos presenteia com 2 horas e 10 minutos de um filme delicioso, linear, inteligente e, com o perdão do trocadilho, com Alma.

2 comentários:

brauns disse...

impressionante como PTA ainda é novo. ele pode nos entregar muita coisa boa ainda.

tô com expectativas para este filme. confesso que não gostei muito do trabalho anterior dele, vício inerente.

Kamila Azevedo disse...

Infelizmente, ainda não assisti. Mas, o trailer me deixou extremamente curiosa. Sei que você gosta muito do cinema de PT Anderson e espero apreciar "Trama Fantasma" tanto quanto você.