07 janeiro 2013

Melhores de 2012


Pelo que vejo por ai minha lista não está muito diferente das demais que pipocam nesse inicio de ano.

Skyfall para mim não é surpresa nenhuma. Sou fã do agente britânico, mas tinha consciência que seus filmes eram bombas, bastou colocar um cineasta à altura da franquia que deu no que deu, de quebra trouxe a melhor brincadeira do ano protagonizada por Javier Bardem, o que fez com que fosse escolhida a atuação do ano.

A Separação é a surpresa do ano, num país onde pensar já não é bem visto pelas autoridades, um filme que discute o comportamento de um casal onde a mulher quer deixar sua pátria é um marco histórico, no mínimo, mas a película vai além disso, é muito bem filmada, possui diálogos sensacionais e abre as portas do Irã para o mundo.

O Artista me deixou mudo. É uma ode ao cinema.

Intocáveis. O que falar dele? Tem uma frase que coloquei no post sobre o filme que gosto muito: Quando o único movimento do corpo que você consegue fazer é balançar a cabeça, existe algo mais importante na vida que mexe-lá para dançar September do Earth, Wind & Fire? Confesso que antes de ver esse filme acharia uma heresia tal pensamento.

Amour talvez tenha recebido a maior análise para fulgurar aqui. Talvez vocês achem chato mais um filme de Michael Haneke ser escolhido o melhor do ano. Cannes também o fez, lembro vocês. Mas não tem como ser diferente. Atrevo-me a dizer que nunca o amor foi dissecado de tal forma pelas artes em geral.

Nenhum comentário: