27 abril 2011

Ricky

Ricky – François Ozon – 2009 (Cinemas)

Na primeira cena do filme a câmera em close mostra o desespero da protagonista. Uma francesa abandonada pelo companheiro espanhol, doente e com dois filhos para criar, ela conversa com uma assistente social, quer dinheiro e ajuda para criar seu bebê, que chora o tempo todo.

Ricky é o bebê que todas as mães queriam. É um anjo. Seus pais, que se conheceram na fábrica onde trabalham, ainda estão no começo do relacionamento, mas a presença de Ricky pode significar muitas descobertas para o casal. A mãe Katie (Alexandra Lamy) já tem uma filha, adorável por sinal, o pai Paco (Sergi López) parece ser um sujeito legal, até Ricky aparecer com alguns hematomas nas costas e viver chorando.

François Ozón, um dos cineastas preferidos do Museu, é um manipulador. Assim como Stanley Kubrick ele vaga por vários gêneros cinematográficos, valendo-se de sua cultura cinéfila e de sua inquieta criatividade, Ricky é sua primeira fábula, e é uma das mais lindas e cativantes da história do cinema.

Curta o Museu do Cinema no facebook.

2 comentários:

cinefilapornatureza disse...

Adoro François Ozon e quero muito conferir este filme!

Pedro Henrique Gomes disse...

Mais um bom filme do Ozon. Mas, da safra recente dele, O Refúgio me parece imbatível.