08 novembro 2016

Julieta

Julieta - Pedro Almodóvar - 2016 (Cinemas)

Um vestido vermelho toma toda a tela, sua cor forte, apesar de vermelho, quase lembra um vinho. O vestido parece em movimento, um movimento cadenciado, repetitivo, uma respiração contínua e forte, aos poucos a câmera vai se afastando como se uma cortina fosse abrir o palco, mas antes dela revelar, uma escultura de um homem sem braços sentado com um parafuso em rosca entre as pernas invade a tela junto às mãos da protagonista (que usa o tal vestido vermelho) e um plástico bolha que enrola o artefato.

Julieta, a protagonista da trama, é, como manda o manual do roteiro-que-leva-o-nome da-personagem-no-título, uma pessoa em processo de transformação. Como na cena acima, a primeira do filme, Julieta empacota seus objetos numa mudança para acompanhar seu namorado a Portugal, mas ao encontrar na rua, por acaso, uma amiga da filha todo seu plano vai mudar.

O filme é baseado em 3 histórias da escritora canadense Alice Munro, porém foi adaptado para a cultura espanhola depois que Pedro Almodóvar e seu irmão e produtor Agustín estiveram no Canadá e se sentiram inseguros para filmar em um local que não conheciam, e numa língua que não eram bons.

Julieta é Almodóvar do inicio até o principio do fim, ele carece de uma reviravolta almodovariana justamente no momento em que a película mais necessita, mas mantém o ritmo característico do cineasta com aquela pitada de suspense e cores que eclodem aos olhos.

Um comentário:

Kamila disse...

Gostei muito de "Julieta". Na realidade, gosto de filmes mais intimistas e reflexivos e foi muito bom ver Almodóvar trabalhando um lado mais contido em sua filmografia. Adorei a maneira como o filme é permeado pela ausência presente de Antía...