16 junho 2008

O Melhor Amigo da Noiva

Made of Honor – Paul Weiland – 2008 (Cinemas)

Os responsáveis da distribuidora por traduzir os nomes dos filmes são gênios. O problema é que eles não querem vender o filme, e sim enterra-los. A tradução feita para Made of Honor (Dama de Honra em bom português, que não é o deles, obviamente), O Melhor Amigo da Noiva remete ao filme com Julia Roberts, O Casamento de meu Melhor Amigo (1997). E é aqui que os “tradutores” se entregam, porque não foi mera coincidência, os dois filmes são carregados de clichês do gênero e põe todo o filme nas costas do ator principal.

Porém Patrick Dempsey não é Julia Roberts, e a enxurrada de ruindade nos cinemas de hoje é muito pior que há 11 anos atrás.

Tom (Dempsey – aquele raquítico nerd de Namorada de Aluguel (1987), que agora é galã) é o pegador. Numa de suas conquistas ele conhece acidentalmente Hannah (Michelle Monaghan), e ficam bastante amigos e colegas de trabalho. Numa viagem Hannah conhece Colin (Kevin McKidd) e apaixonada decide se casar e convidar seu grande amigo Tom para ser a dama de honra do título original, é aqui que reside a piada principal do filme, muito sem graça por sinal. A última aparição de Sidney Pollack merecia coisa melhor.

9 comentários:

Ramon disse...

Nossa, mãe!
Vou passar batido enquanto puder. Mas imagino que quando a for à locadora com a noiva, não vou ter como escapar. Ai de mim!

Pedro Henrique disse...

Eu estou adiando sem querer, mas em breve serei uma vítima também.

Abraço!!!

Museu do Cinema disse...

Mulheres super poderosas hein, mas quando elas forem atrás desse, insistam em O Casamento do meu Melhor Amigo.

Ramon disse...

Haha! Super poderosas... pode crê!

Kamila disse...

Cassiano, "O Melhor Amigo da Noiva" é um plágio de "O Casamento do Meu Melhor Amigo". Só tem uma diferença: o filme do Patrick Dempsey é cheio de piadas com referências sexuais. Achei divertido, mas esquecível!

Museu do Cinema disse...

Pois é Kamila.

Marcus Vinícius disse...

Passei longe desse filme. Não por causa dele em si, mas sei que vou ter um treco ao ver, hehe.

E dále Grêmio Copero e Querido. Esses pontinhos são importantes lá na chegada. Rumo a La Taça!

Abs!

cineresenhas disse...

Cassiano, os únicos motivos para eu ver este filme são justamente por ser um plágio descarado de "O Casamento do Meu Melhor Amigo" (uma comédia romântica que adoro!) e, agora, a presença de Sidney Pollack depois da triste perda que sofremos deste grande profissional.

E as traduções brazucas são tão cretinas que até perdeu a graça se queixar com os distribuidores nacionais. E é engraçado ver que Patrick Dempsey é mais um daqueles que reascenderam a própria carreira depois do sucesso na televisão, sendo a causa do seu retorno como galã o seriado “Grey's Anatomy”

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Marcus, com ou sem Roth?

Alex, as traduções são demais, eles pegam pesadissimo conosco.