11 fevereiro 2008

Família Soprano – Episódio Final

Made In América – David Chase – 2007 (DVD)

Esse final de semana assisti aos últimos episódios da saga da família que mudou as séries de televisão. Novamente somos desafiados a colocarmos nossos cérebros a funcionar com um final em aberto, e altamente interpretativo. Se encerra uma série que nunca tentou agradar o grande público, e ela só poderia ser encerrada dessa forma, já que conquistou a todos. A lacuna aberta deixará saudade, mas as caixas com os DVD`s estão ai para serem revistos sempre. David Chase entra para os imortais de Hollywood, deixando essa obra-prima. Fato que ele mesmo brincou quando Tony (James Gandolfini) fala isso para Christopher Moltisanti (Michael Imperioli) quando do lançamento de seu filme “Cleaver”. A seguir algumas interpretações da cena final:Como se tornou uma tradição, as cenas finais das temporadas mostra a família reunida em uma mesa de jantar. Numa lanchonete, Tony senta e aguarda os outros membros enquanto escolhe uma música numa mini-jukebox. Journey com Don`t Stop Believin passa a tocar. Carmela (Edie Falco) chega, e logo depois A.J. (Robert Iler) que entra no mesmo momento que um homem misterioso chega. Eles passam a esperar Meadow (Jamie-Lynn Sigler) e comer cebolas empanadas. Uma teoria diz que eles são mortos pelo homem que vai ao banheiro, que, segundo os créditos, tem o sobrenome de Leotardo (seria um sobrinho?), à semelhança do que acontece em O Poderoso Chefão (1972).

Meadow estava nervosa para estacionar o carro porque ia contar à família que engravidara e, acabou por ser esse nervosismo quem a salvou, pois fez com que ela demorasse mais tempo para estacionar o carro e, conseqüentemente, a impedisse de estar na mesa no momento da morte. Ou seja, quando a Meadow entra na lanchonete, e o sino toca, o Tony olha pra ela e é morto.

O final abrupto e silencioso é justificado pela conversa em que o Bobby diz a Tony "Você provavelmente nem sequer ouve quando isso acontece..." em outro episódio da temporada. Não foi por acaso que essa cena voltou a aparecer nos minutos finais do último episódio. Veja um clipe explicando tudo aqui.

Família Soprano prova que existem cérebros em Hollywood, e prova também que do outro lado existem espectadores dispostos a pagarem por isso. O final de 10 segundos pretos sem audição rivaliza com a dor de Michael Corleone e seu grito mudo nessas duas obras-primas inesquecíveis, por isso nunca pare de acreditar.

17 comentários:

Kamila disse...

Tenho HBO e nunca consegui assistir às temporadas completas de "The Sopranos". Acho que a temporada que eu mais assisti episódios foi a última. Conferi esse "Made in America" mais por causa de todo o auê que essa cena final causou. E eu acho, sinceramente, que o episódio termina como tem que ser. Quem gostaria de assistir à morte do Tony? E quem disse que ele iria morrer mesmo? Pode ter sido somente uma paranóia.

Ramon Scheidemantel disse...

Só assisti o primeiro capítulo da primeira temporada. Nunca priorizei a série, e assim sendo é um lapso no meu conhecimento.
Talvez comprando os DVD eu assista, quando não tiver nada para fazer.

Museu do Cinema disse...

Kamila, pois é, milhões de possibilidades, isso é genial!

Ramon, vc não faz ideia do q tá perdendo.

Vinícius P. disse...

Nunca vi a série, até porque não tenho TV paga e não encontrei em DVD por aqui. Mas com certeza verei um dia, pois ao que parece esse é um dos programas para entrarem na história da TV americana.

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Vinicius, já entrou, é um marco na história da TV e do cinema tb!

Kamila disse...

Cassiano, será que alguém sabe o que realmente aconteceu de verdade ali? Acho que nem o David Chase!

Romeika disse...

Nunca assisti a um único episódio dessa série, acredita? Nunca tive HBO, talvez um dia se encontrar pra alugar eu assista. Comprar, acho difícil.

Museu do Cinema disse...

Kamila, li uma entrevista do Chase que ele deixa no ar que a suspeita da morte se confirma, pelo fato do cara que olha pro Soprano ter mesmo um parentesco com Phil Leotardo, como mostra os créditos.

Romeika, vc não faz ideia do que tá perdendo, máfia, psicologia, vida, sexo, drogas e rocknroll.

Romeika disse...

Eita, quanta coisa! Sem HBO fica difícil, talvez apelando pra outros meios. Fica a recomendação.

Kamila disse...

Obrigada, Cassiano. Não sabia da existência dessa entrevista do Chase.

Otavio Almeida disse...

Puta que pariu! Esse final foi demais mesmo! Que saudade da Família Soprano!!!!!

Abs!

Museu do Cinema disse...

Romeika, se conseguir alugue os dvds aos poucos, eu recomendo, na HBO vc nunca conseguirá virá a série certinha. Se gostar, vc irá acabar comprando.

Kamila, nem eu, e nem me pergunte onde foi, vi apenas a foto com a entrevista no q parece ser uma revista norte-americana.

Otávio, é bem por ai mesmo...

Marcus Vinícius disse...

Putz, ainda não vi UM episódio dessa série! Tá aí, vou ver se alugo o começo dela nesse final de semana.

E começa a caminhada ao penta. Esse Perea parece ser promissor, infinitamente melhor que Tuta e Marcel, hehe.

Abraçoo!!

Museu do Cinema disse...

Veja sim Marcus, esse eu indico!

Esse ano começa melhor que no ano passado, sem Tuta e sem Ramon e as chatisses do Mano Menezes. Rumo ao PENTA!

Ricardo Cazzo disse...

A última cena, ele olha para a porta com cara de assustado não? Parece que ele coloca as mãos para baixo da mesa, como se fosse pegar alguma coisa.

Gledyson disse...

Realmente essa série foi muito foda e esse final do caralho, já estou com saudades!!

Vinícius disse...

O legal desse final e que ele foi alternativo ao extremo,como o clima estava bom e tranquilo no restaurante,algumas pessoa podem acreditar que não iria acontecer nada além de que a filha entraria e diria a eles que tinha engravidado. Mas outro podem acreditar que aquele homem que entrou no banheiro sairia de lá armado(paródia com o poderoso chefão) e mataria todo mundo,menos talvez a filha deles que tinha acabado de chegar.

Eu gostei. Na minha opinião iria acontecer um tiroteio sim,mas vai saber quem conseguiria se salvar e quem morreria...