25 agosto 2005

De Olhos bem Fechados

Eyes Wide Shut – Stanley Kubrick – 1999

Tom Cruise certa vez disse que esse filme ainda seria um sucesso, depois do fracasso que foi sua passagem pelo cinema. Talvez uma explicação para esse insucesso seja o magistral trailer/teaser feito pelo próprio Stanley Kubrick que invadiu cinemas e televisões no mundo inteiro. O trailer em questão trata-se de uma cena do filme no qual o personagem de Tom Cruise vai ao encontro de Nicole Kidman que, nua, tira os brincos em frente ao espelho dançando suavemente ao som da música “Baby Did A Bad Bad Thing”* de Chris Isaak. Esse pequeno trailer atraiu aos cinemas o público que não era seu alvo e não pelo erro de percepção de Kubrick, mas sim pela cultura de tratar o sexo como algo apelativo e proibido.

Baseado no livro Traumnovelle*, de 1926, do escritor austríaco Arthur Schnitzler, contemporâneo, conterrâneo e amigo de Sigmund Freud e que traduziu em suas obras várias teorias Freudianas, Schnitzler aliás chamava Freud de irmão gêmeo tal era o grau de proximidade dos pensamentos. Muitos críticos afirmam que Arthur traduziu na ficção o que Sigmund pesquisou na ciência.

Kubrick levou 20 anos para adaptar o livro ao cinema e, enquanto finalizava a película, morreu. O filme foi todo rodado em Londres, apesar da trama se passar em Nova Iorque, cidade natal de Kubrick. O casal William “Bill” Harford (Tom Cruise) e Alice (Nicole Kidman) que, depois de uma discussão sobre ciúmes, revela a Bill que nunca o traiu, mas sentiu um forte desejo por um desconhecido. O médico Bill, que nunca tinha sentido ciúmes da esposa, tem, nesse momento, uma crise e, enquanto imagina um ato de traição da esposa, passa a buscar novas experiências sexuais pelas ruas de NY, até parar numa grande orgia religiosa, descrita no livro “O Código Da Vinci”.

É uma grande discussão da relação. Parecem o casal perfeito, bonitos, ricos, com uma filha saudável, mas que sexualmente tornaram-se frios.

Como o próprio título nos diz, “Olhos Escancaradamente Fechados”, muitas vezes nossos sonhos são frutos da realidade.

* Amor, fiz uma coisa muito má;
* Novela do Sonho.

2 comentários:

Túlio Moreira disse...

CRUISE-KIDMAN-KUBRICK. Essa novela onírica ainda - espero - vai ser reconhecida como um dos melhores filmes já feitos sobre o sexo. Aliás, o filme é isso. Sexo, sexo, sexo. Você deve estar de olhos bem fechados para sonhar e para t...

Museu do Cinema disse...

Eu vou mais além Túlio, alias, como o sexo deve ser enxergado. O filme trata de sexo, como tudo na vida nos leva ao sexo, mas não devemos nos ater apenas no sexo. Acho que a visão é mais, é da vida conjugal, de uma esposa fiel, mas que um dia sentiu desejos por outro homem e um homem que não se sabe de sua fidelidade que adora "paquerar" outras mulheres, e acha que está salvo da traição por um casamento perfeito. COMPLEXO demais até para o sexo!