27 setembro 2017

Mãe!

Mother! - Darren Aronofsky - 2017 (Cinemas)

Eu quero fazer um paraíso.

A estrutura de Mãe! é baseada na bíblia, a mãe do titulo refere-se a mãe natureza, representada pela atriz Jennifer Lawrence, Javier Bardem é creditado como Ele, em maiúsculo, Deus. Ed Harris é Adão e Michelle Pfeiffer Eva, portanto seus filhos são Caim e Abel.

Enquanto o filme vai se desenrolando num compasso gradual, vamos imaginando versões, tanto teatral como psicologicamente. E esse jogo de dicas e adivinhações é ignorado pelo cineasta, que prefere a poesia à manipulação. E talvez seja aqui, na metade da película, que há uma ruptura da proposição, e isso acaba gerando insatisfação em parte dos espectadores.

Porém toda essa analogia é criada por nós mesmos, nossa cultura cinematográfica de procurar as dicas, descobrir intenções, dialogar com o cineasta. Mas a arte não dialoga, a arte abre espaços, a arte gera questionamentos.

Darren Aronofsky escreveu o roteiro em menos de 5 dias numa visão pessimista do mundo. Foi durante as filmagens que ele e a atriz Jennifer Lawrence começaram a namorar. Uma das inspirações do diretor foi a artista plástica escocesa Jessica Harrison cuja obra foi copiada no pôster que ilustra essa matéria.

Um comentário:

Kamila disse...

Discordo um pouco da sua interpretação, mas compreendo o sentido que você deu ao filme. Tendo dito isso, acho que Aronofsky foi totalmente intencional com "mãe!". Ele queria que o filme causasse barulho e encontrasse sentido nas interpretações que a plateia fosse fazer da obra. Mesmo assim, eu confesso que me decepcionei um pouco, pois acho que o longa perde muito o caminho no decorrer de sua duração, perdendo por completo o nexo. Uma pena! Mas, mesmo assim, admiro a coragem de Aronofsky em fazer o diferente, numa época em que o cinema anda muito sem inovações criativas!