13 junho 2017

O Cidadão Ilustre

El Ciudadano Ilustre - Gastón Duprat e Mariano Cohn - 2016 (Cinemas)

Daniel Mantovani criou um universo poderoso em torno de sua terra natal. Apesar de ter vivido na Europa, seu trabalho aborda temas universais, contando a história intima da aldeia onde nasceu e passou a juventude: Salas, na província de Buenos Aires, Argentina.

Depois de ganhar o Prêmio Nobel de Literatura, o escritor argentino Daniel Mantovani (Oscar Martínez), um autor recluso e de forte personalidade, decide voltar a sua terra natal depois de 40 anos para receber o titulo de Cidadão Ilustre.

A melhor política cultural é não ter nenhuma. "Defender nossa cultura"? Sempre consideram a cultura algo frágil, esquálido que precisa ser salvaguardado, protegido, promovido e subsidiado. A cultura é indestrutível. Capaz de sobreviver aos piores massacres. Houve uma tribo africana cuja língua não tinha a palavra "liberdade". Sabem porque? Porque eles eram livres. Acredito que a palavra cultura é sempre pronunciada pelas pessoas mais ignorantes, estúpidas e perigosas. Pessoalmente, eu nunca a utilizo.

Gastón Duprat e Mariano Cohn conseguem exprimir o roteiro de Andrés Duprat de forma a entregar aos espectadores um filme dinâmico, pontual e intenso do inicio ao fim. É quase impossível se desligar um minuto sequer das cenas, mesmo sem usar recursos grandiosos de cinema. O Cidadão Ilustre é um filme direto, fantástico, completamente interligado, e talvez por isso que mantenha nossa expectativa sempre atenta. É como aquele livro que a gente começa a ler e só para quando chega a última palavra.

Um comentário:

Kamila Azevedo disse...

Parece ser muito bom, hein, Cassiano?