25 março 2017

Fragmentado

Na década de 70, depois de sequestrar e violentar 3 mulheres, Billy Milligan, um jovem de 22 anos foi preso acusado dos crimes. Durante uma avaliação psiquiatra pedida por seus advogados, Billy foi diagnosticado com Transtorno Dissociativo de Identidade, descobriu-se que Billy tinha 24 personalidades diferentes, e duas delas, um iugoslavo chamado Ragen e uma lésbica chamada Adalana, tinham cometidos os crimes.

Split - M. Night Shyamalan - 2016 (Cinemas)

O cineasta indiano radicado na Philadelphia M. Night Shyamalan é um personagem de Hollywood. Ele surgiu para o mundo com o sucesso mundial O Sexto Sentido (1999), após isso ele fez o excelente Corpo Fechado (2000) que muitos consideram o melhor filme de super-heróis. Era praticamente uma unanimidade e um Midas - tudo que tocava virava ouro. Então ele faz 7 filmes entre medianos e ridículos e virou uma espécie de zuador de si mesmo.

Fragmentado é sua tentativa mais concreta de voltar ao patamar anterior. Possivelmente também seja uma questão de ter deixado de lado o ego, voltando ao inicio da carreira onde escrevia roteiros baseados em estudos severos sobre a trama do filme, e se preocupava em deixar seus atores entregar excelentes performances. E não em criar um gênero pra chamar de seu.

Shyamalan entrevistou muitos psiquiatras e se fundamentou no livro baseado em fatos reais, The Minds of Billy Milligan, que comentei acima. O que mais impressionou o diretor foi uma personalidade em particular, a de um lutador russo que brigava, e batia, em muita gente na prisão, mesmo Billy sendo magro e nem um pouco musculoso.

James McAvoy garante com seu talento todo o volume do calhamaço do script. Imagino a dificuldade do ator em interpretar uma cena no espelho como uma criança de 9 anos, e um adulto muito sério, mudando a voz e as expressões sem cortes.

Um comentário:

Kamila Azevedo disse...

Ainda não assisti a "Fragmentado", mas estou curiosa, especialmente por causa dos bons comentários que ando lendo sobre o filme.