31 outubro 2016

Parábola do Mês

Charlie "Bird" Parker ainda era um garoto jovem, muito bom no sax. Conseguiu uma vaga numa sessão de Jazz, e fudeu tudo. E Jo Jones quase decapita ele por isso, jogando o prato da bateria. E depois ele riu de Parker fora do palco. Naquela noite Charlie dormiu chorando, mas na manhã seguinte, o que ele faz? Ele pratica. E ele pratica e ele pratica com um objetivo em mente, para nunca mais rirem dele novamente. E um ano mais tarde, ele volta a Reno e sobe no palco e interpreta o melhor solo que o mundo já ouviu. Então, imagine se Jones tivesse dito: "Bem, isso é bom, Charlie. Foi tudo bem. Bom trabalho." E então Charlie pensaria consigo mesmo: "Bem, merda, eu fiz um bom trabalho." Fim da história. Sem Bird, sem nada. Isso, para mim, é uma tragédia absoluta. Mas isso é apenas o que o mundo quer agora. As pessoas se perguntam por que o jazz está morrendo.

* Extraída do filme Whiplash (2014) de Damien Chazelle, interpretada por J. K. Simmons.

Nenhum comentário: