09 agosto 2013

Ferrugem e Osso


De Rouille et D’os – Jacques Audiard – 2012 (Cinemas)

É como diz a canção Nature Boy: “a melhor coisa que você aprenderá é somente amar e ser amado”. Em 2 horas de filme, Ali (Matthias Schoenaerts) e Stéphanie (Marion Cotillard) irão aprender isso, mas antes vão passar por uma jornada que mudará suas vidas separadamente.

Ali está desempregado e com um filho de 5 anos para criar. Stéphanie trabalha como treinadora de orcas num oceanário.

O cineasta parisiense Jacques Audiard adaptou contos do escritor canadense Thomas Bidegain fazendo algumas alterações para criar um filme seco, direto, mas profundamente romântico e bonito. Audiard começa a colocar seu nome entre os grandes realizadores franceses estampando um jeito peculiar de filmar.

Marion Cotillard prova que pertence a um nível superior de interpretação.

Um comentário:

Kamila disse...

Gostei da interpretação que você fez em relação ao filme utilizando a canção de David Bowie. É bem isso! Na realidade, vejo "Ferrugem e Osso" como um filme sobre as transformações profundas pelas quais esses personagens irão passar, na medida em que eles vão abaixando as barreiras que impõem entre si e o mundo.