14 fevereiro 2013

No – Pablo Larraín – 2012 (Cinemas)

Como tirar do poder um ditador criando uma campanha de marketing? A resposta mais óbvia, mais procurada, mais honesta, não seria a correta. Para o publicitário René Saavedra (Gael García Bernal), filho de um exilado da ditadura do general Pinochet do Chile, a campanha deve ter clima otimista, mesmo se tratando de um plebiscito armado por governos internacionais – onde a grande maioria da população crê que o general não sairá do poder.

O filme No, do chileno Pablo Larraín, encerra a trilogia do cineasta sobre os anos de ditadura de Pinochet, antes vieram Tony Manero (2008) e Post Mortem (2010). Foi filmado com uma câmera da época arrematada no e-Bay, e processado no antigo formato U-Matic que envelhece a película. O diretor utilizou-se muito de arquivos de televisão do plebiscito original.

Baseado livremente na peça do escritor chileno Antonio Skérmeta, El Plebiscito, No é um filme documental, mas com carga dramática cinematográfica. Mesmo sabendo o resultado não tem como passar sem tensão nas quase 2 horas de filme.

Um comentário:

Kamila disse...

Que trama curiosa! Adorei! Espero poder conferir este representante sul-americano no Oscar 2013.