11 dezembro 2012

Heleno

Heleno – José Henrique Fonseca – 2011

Um esquálido Rodrigo Santoro é a primeira imagem da película em preto e branco. Ele olha uma parede repleta de noticias de jornais antigos sobre sua personagem, parece louco, doente, a cena termina com ele rasgando os jornais e comendo.

A história do Brasil passa invariavelmente pelo futebol. O país de chuteira, como já escreveu Nelson Rodrigues, estranhamente tem muito pouca história sobre esse tema, e o que não faltam são personagens e material.

Heleno é bem vindo nessa seara. Além de fazer um retrato bem feito do craque problemático (dizem que o 1º deles), o filme possuí qualidades técnicas indiscutíveis, além de atores tarimbados, em especial o trio Santoro, Alinne Moraes e Angie Cepeda.

O ídolo botafoguense que encantava a torcida como a mesma garra que corria atrás das mulheres, e foi interrompido por uma doença degenerativa, peca justamente onde outros poucos já erraram, no futebol. Imagens em close e escassas cenas fazem de Heleno um filme muito mais sobre a doença do que seu tema principal.

Um comentário:

Kamila disse...

Não assisti "Heleno" e tenho muita vontade de fazer isso ainda, porque se trata de um filme elogiadíssimo!!! Fato corroborado por essa sua resenha crítica.