11 maio 2012

Crime de Amor

Crime d’amour – Alain Corneau – 2010 (DVD)

Quando um filme é acima da média algumas evidências deixam isso claro: burburinho em blogs especializados, prêmios em festivais e ou afins, distribuidoras gastando a mais com novas divulgações, e comentários a cerca da interpretação dos atores envolvidos.

Crer na inteligência humana é o primeiro passo para acreditar na perfeição. Quando falo aqui sobre erudição quero dizer aquela que abrange tudo, não a inteligência especifica.

Crime de Amor é o 587º filme sobre o crime perfeito. Ele traz duas atrizes perfeitas para o papel da chefe sedutora, fria e calculista (Kristin Scott Thomas – deslocada), e a funcionária pró-ativa, tímida, competente e enigmática (Ludivine Sagnier – ótima).

Assim como é o mundo, alguns filmes ridículos ganham as manchetes e o público através de burburinhos, premiações, e propagandas, temos centenas de milhares de exemplos, o último que me recordo A Serbian Film (2010) todos conhecem. Crime de Amor é do mesmo ano.

Siga o Museu do Cinema no twitter e curta a página no facebook.

4 comentários:

Kamila disse...

Bom, adoro filmes sobre crimes perfeitos. E, mesmo você não dando muitas pistas sobre o longa, fiquei interessada, especialmente porque tem a Scott-Thomas, que é uma das atrizes mais competentes de sua geração.

blogcineresenhas disse...

Olha, com base nas últimas linhas, posso acreditar então que o saldo desse filme é negativo, certo?

Ele está na minha lista "want to see", uma vez que o mestre De Palma já está na fase de pós-produção da atualização desse filme francês. E achei engraçado me deparar com sua opinião a respeito das interpretações: amigos que já viram o filme me garantiram que Kristin Scott Thomas está competente como sempre enquanto a Ludivine Sagnier (que eu adoro) passa o filme inteiro com as mesmas caras e bocas.

Um momento vou assistir, enfim.

Museu do Cinema disse...

Ao contrário Alex, alias, tudo ao contrário.

Sou totalmente contra refilmagens, ainda mais das norte-americanas, não sei pq diabos os grandes mestres do cinemão hollywoodiano estão se rendendo a essa preguiça (Scorsese, Fincher e agora DePalma).

blogcineresenhas disse...

Cassiano, erro de interpretação, rs.

E não sou contra refilmagens, mas não consigo aceitar as atualizações de filmes recentes ("Deixe-me Entrar", "Os Homens Que Não Amavam As Mulheres" etc). No entanto, como "Passion" representa o retorno do cineasta após cinco anos, o fato de ser uma refilmagem me parece um mero detalhe.

Enfim, em breve vejo esse "Crime de Amor".