25 abril 2012

Game Change

Game Change – Jay Roach – 2012 (HBO)

Em 2008 o mundo conheceu Barack Obama e o seu “sim, nós podemos” e caiu de amores pelo senador negro norte-americano democrata e simpático. Uma celebridade desse calibre necessitava de uma oposição a altura.

Sarah Louise Heath Palin, ex-modelo, miss Wasilla 1984, prefeita de 1996 a 2002, governadora do Alasca, uma defensora dos preceitos bélicos do país, foi à resposta republicana para virar o jogo.

Baseado no livro homônimo dos respeitados jornalistas Mark Halperin e John Heilemann, os bastidores da corrida presidencial estadunidense de 2008 são expostos com grau de realismo poucas vezes visto num filme feito para televisão. É necessário destacar também a humanização da caricata Sarah feita com maestria pela talentosa Julianne Moore, além do brilhante trabalho de Woody Harrelson e Ed Harris.

Surpreendentemente dirigido por Jay Roach, responsável pela sensacional franquia de comédia Entrando numa Fria (2000), o filme ganha em não colocar atrás das câmeras alguém com mão pesada e criar um clima sério demais.

Siga o Museu do Cinema no twitter e curta a página no facebook.

4 comentários:

Kamila disse...

"Surpreendentemente dirigido por Jay Roach". Você fala isso, então suponho que ainda não assistiu ao estupendo trabalho dele de direção em "Recontagem", telefilme também da HBO, sobre outra eleição norte-americana polêmica recente?? Ele e o Danny Strong, que escreveu o roteiro de "Recontagem", repetem a dobradinha nesse telefilme aí, que eu estou doida pra assistir!

Museu do Cinema disse...

Não vi Kamila, mas falo isso pq o curriculo dele é de comediante, e o filme em questão não tem nada de engraçado.

Kamila disse...

Assiste "Recontagem", Cassiano. é surpreendente e um filmaço!

blogcineresenhas disse...

Pô, esse "sensacional franquia de comédia Entrando numa Fria" soou meio sarcástico, rs. Tenho muita vontade de conferir este filme, além de "Recontagem", filme televisivo anterior de Jay Roach. O melhor de tudo é que a produção carrega o selo HBO, então é impossível sair algo menos que ótimo.