21 março 2011

Parábola do Mês

E a morte devolveu esses tesouros por uma música. O rouxinol cantou. Cantou no cemitério da igreja, onde rosas brancas crescem, onde as flores antigas deixam doce o ar, onde a grama é sempre verde, molhada com as lágrimas de quem ainda vive. A morte ansiava por seu jardim. Pela janela, uma neblina fria e cinzenta como a morte partiu. “Obrigado, obrigado”, disse o imperador. "Passarinho do céu conheço-o há tempo.

Uma vez o bani da minha terra, e ainda assim você afugentou o mal da minha cama, e a morte do meu coração. Como posso recompesá-lo?" “Você já me retribuiu”, disse o rouxinol. "Eu trouxe lágrimas a seus olhos quando cantei para você. Para o coração do cantor, isso é mais valioso que qualquer pedra preciosa. Agora durma e cresça renovado e forte enquanto eu canto”.

Ele cantou até o imperador cair num profundo e renovador sono, um doce e suave descanso.

* Extraída do filme Em  um Mundo Melhor (2010) de Susanne Bier, interpretada pelo talentoso garoto William Jøhnk Nielsen

3 comentários:

Cine Mosaico disse...

Belo texto!
Quero muito ver esse filme.

Kamila disse...

Belo texto, mesmo!!

Museu do Cinema disse...

É do mesmo autor de A Pequena Sereia, Hans Christian Andersen.