15 julho 2010

A Noite

La Notte – Michelangelo Antonioni – 1961 (DVD)

- Aonde vai? Espere um pouco. Vamos conversar. Conte-me algo.
- Mais tarde venho cobri-la e contar uma linda fábula.
- Finja que já estou na cama.
- Mais tarde... Contarei a história de um eremita. Intelectual, é claro. Por anos ele se alimentou de orvalhos, e na cidade deram-lhe vinho, e ele tornou-se um alcoólatra.


Os créditos iniciais são mostrados através de um elevador que parte de fora de um grande edifício de Milão. O vidro e o concreto rodeiam a cidade abaixo, é a deixa do cineasta para mostrar que a arquitetura interferirá na sua história.Finalmente Antonioni havia alcançado um lugar de respeito dentro da indústria de cinema italiana. Em A Noite ele pôde filmar em Milão e com atores conhecidos e respeitados internacionalmente, o italiano Marcello Mastroianni, que havia finalizado La Doce Vita (1960) de Federico Fellini, e a francesa Jeanne Moreau que tinha concluído com Louis Malle, Os Amantes (1959). A história se passa em tempo real. Acompanhamos o casal Giovanni Pontano (Mastroianni), um escritor, e Lidia (Moreau), sua mulher, numa visita a um amigo enfermo, depois a uma livraria para autografar, para grandes personalidades, exemplares de seu novo livro, La Stagione. É quando se desencontram e passamos a acompanhar Lidia pelas ruas pobres da cidade, até se reencontrarem novamente, voltarem para casa, e se arrumarem para ir a um restaurante assistir a um show, e depois esticar a noite numa festa na casa de um milionário que é fã de suas publicações.O que importa é o que diz, não as intenções.

A Noite é a segunda parte da chamada trilogia da incomunicabilidade, como os críticos denominaram. O casal protagonista passa por um momento de crise. A fama e a intelectualidade dele parecem-no cegar diante da companheira, que apesar da vida que leva, busca sempre a simplicidade e os contatos mundanos, como mostra a cena em que ela ri diante de dois homens que passam e contam piada na rua, ou quando ela interrompe aos gritos uma briga entre dois jovens.Giovanni Pontano foi um poeta e humanista italiano do século XV. Michelangelo Antonioni pegou seu nome para batizar a personagem de Mastroianni que, no filme, escreveu o livro chamado La Stagione (A Estação do Ano). Mais uma vez o cineasta deixou sua eterna musa como à principal chave da trama. Monica Vitti é a responsável pelo momento de reflexão que o casal sofre. Interpretando Valentina, Monica parece atrair as imagens de Antonioni, sua presença na tela mostra o quanto essa parceria foi importante para a sétima arte.

2 comentários:

pseudo-autor disse...

Esse filme é um sonho de consumo antigo meu. Mas como é difícil comprar essas coisas aqui no RJ! Precisa bater perna e saber negociar. Até download é complicado...

cinefilapornatureza disse...

Esse parece ser um grande filme. A conferir!!