18 maio 2010

Dente Canino

Kynodontas – Giorgos Lanthimos – 2009 (DVD)

“Ainda não estão preparados para entrarem no 2º nível de treinamento (...) e esperem que o ensinemos a se comportar”.
Acredito em dois tipos de cinema. O comercial e o artístico. O comercial é feito para agradar o público, é auxiliado por uma boa pesquisa de mercado e seu intuito é exclusivamente financeiro. O artístico pode ou não trazer retorno financeiro, mas nunca é seu objetivo. Então, pressupõe-se que exista outro objetivo.

Num primeiro olhar, Dente Canino não possui um objetivo que o justifique. Casal mantém seus três filhos adultos, um homem e duas mulheres, presos em casa para preservar suas inocências evitando qualquer contato com o mundo exterior.

É necessário um pouco mais de reflexão para captarmos a intenção do cineasta grego Giorgos Lanthimos (em grego Yorgos). Ele discute violência, submissão e cultura com um experimento filmado. O diretor nos faz de voyeur da experimentação do casal com os filhos, e nos pergunta qual tipo de educação pode ser considerada acertada?

Obviamente não devemos esperar respostas objetivas. A película foi eleita melhor filme da mostra A Certain Regard (Um certo olhar) de Cannes em 2009, e é o filme de estréia do cineasta. O título original, canino, é base da regra que o pai colocou aos filhos, só sair de casa quando o dente canino cair e nascer outro em seu lugar.

Acredito que um não sobreviva sem o outro. É necessário, tanto quanto prudente, termos o olhar para o cinema comercial como para o de autor. Os multiplexes foram invenções para agraciar isso. Enquanto numa sala para 300 pessoas passa Homem de Ferro 2, a do lado para 50 exibe Dente Canino. O problema é que na de 50 os exibidores preferem colocar o primeiro Homem de Ferro para ganhar mais um pouquinho.

Um comentário:

Otavio disse...

Cassiano,

E o novo HOMEM DE FERRO é uma droga, cara! Tem isso também...

Ah, escrevi sobre Cameron Crowe lá no Hollywoodiano...

Abs!