02 fevereiro 2010

Nine

Nine – Rob Marshall – 2009 (Cinemas)

Durante a coletiva de imprensa do filme, os jornalistas esperavam ansiosos para conhecer mais de Nine, o diretor, porém não queria passar nenhuma informação. Cada vez que falamos do filme ele morre, dizia ele num inglês carregado de sotaque italiano. Dissertando sobre o prejuízo que se tem quando o cineasta fica comentando sobre sua obra, ele é questionado sobre sua massa preferida. Enfim uma pergunta séria! Grita para todos caírem na gargalhada. A cena é a abertura de Nine, mas dá para enxergar, no imaginário cinéfilo de todos nós, a figura de Federico Fellini.

Tenho uma imensa lacuna como cinéfilo, não vi (1963). Talvez seja até imperdoável esse crime, mas a verdade é que Nine vai me fazer amenizar isso, pois meu próximo filme a ser visto será (1963) de Federico Fellini.Quem acompanha o Museu sabe de minha paixão pelo cinema italiano. Eu amo o preto e branco, eu amo as luzes e iluminação, o modo como o cineasta coloca uma imagem num prisma, e enxergo neo-realismo em tudo, eu amo o cinema italiano, como diz a letra da belíssima música “Cinema Italiano”, maravilhosamente interpretada – pra minha surpresa – por Kate Hudson. Nine é carregado de cinefilia, é uma justa homenagem ao cinema italiano, e um tributo a Federico Fellini.Nine surgiu primeiro como uma peça de teatro, já encenado por Raul Julia e Antonio Banderas, ganhou um roteiro de Anthony Minguella antes de vir a falecer. Sua sinopse segue a mesma de (1963), um cineasta em crise criativa vai enrolando produtor, equipe e atriz enquanto se refugia e tem alucinações com as mulheres de sua vida. Ou seja, uma biografia da vida de Federico Fellini.As mulheres do filme é um assunto à parte. Kate Hudson, interpretando uma jornalista secundária, nos brinda com uma performance digna de diva da música. A cantora Fergie, interpretando uma prostituta secundária, nos brinda com uma performance digna de diva do cinema. Sophia Loren, como a mãe do pequeno Guido, nos brinda com sua presença, precisa mais que isso? A Dama Judi Dench, atriz irretocável, interpreta a figurinista do diretor, imaginem vocês que ela até canta muito bem, uma atriz pra lá de completa. Penélope Cruz até parece estar num filme de Pedro Almódovar. Interpreta a amante de Guido. Já Nicole Kidman faz a musa dele, está linda e radiante, fez o filme logo após o nascimento de sua filha. E claro, Marion Cottilard, dignificando Giulietta Masina, sua presença é garantia de qualidade. Mas o filme é de Daniel Day-Lewis. Ele nos dá mais um show. Talvez a melhor de sua nada humilde carreira, Guido Contini possui a elegância, a inteligência e o drama criativo de Federico Fellini.Também não poderia deixar de falar do australiano Dion Beebe, o diretor de fotografia da pelicula. Seu trabalho é primoroso. As imagens saltam da tela, os flashes pipocam como estrelas no céu, as lantejoulas brilham como vagalumes no escuro, não sei definir o que é mais bonito, se o colorido do filme, ou o preto e branco. Um trabalho para se guardar definitivamente. De onde Gianni Di Venanzo, diretor de fotografia de (1963), estiver, estará aplaudindo. Assim como il maestro.
Video de Cinema Italiano, com imagens do filme:

6 comentários:

Alex Sandro Alves disse...

Vejo que você gostou muito do filme. Não posso dizer o mesmo. É agradável aos olhos [pelo belo elenco feminino]. Tecnicamente [figurino, direção de arte, fotografia] inquestionável. Mas não é o mais importante: emocionante ou mesmo envolvente. E chego a dizer que se fosse narrado de forma tradicional seria um filme melhor, mas forte [pois os números musicais e canções não são assim tão memoráveis], graças as ótimas interpretações de Day-Lewis e Marion Cotillard [esta sim deveria ser indicada ao Oscar de coadjuvante, pois está maravilhosa, e não Penelope Cruz, ainda que ela tenha um número musical pra lá de sexy e nos faça rir]. Abs!

cinefilapornatureza disse...

Gostou do filme, hein, Cassiano? Que bom! Eu tô com altas expectativas em relação à "Nine", até porque amo musicais. E veja logo "8 1/2". Você vai AMAR!!!!

caiolefou disse...

Quero passar longe desse, mas o do Fellini é um dos 20 maiores que já vi.

Mauro S disse...

Já estou seguindo teu blog e também já o adicionei ao meu, abraços.

Rogerio disse...

O mesmo problema teu com filmes sem humanos, eu tenho com musicais.
Nao adianta elogiar que nao sinto vontade de conferir.

Beto disse...

Também fui um dos poucos que gostaram de Nine, como vc! Postei um comentário lá no meu blog ontem sobre o filme: www.umblogdecinema.blogspot.com
Parabéns pelo blog, abs!