17 agosto 2009

Antes só do que Mal Acompanhado

Planes, Trains & Automobiles – John Hugues – 1987 (DVD)

- Ok. Quem sabe uma melodia? Quem quer cantar uma?
- Eu tenho uma.
- Neal Page tem uma!
- (cantando) Three Coins in the Fountain, each one seeking happiness…Conhecem essa? Thrown by three hopeful lovers...

A odisséia de Neal Page e Del Griffith é uma verdadeira lição de vida, e um dos melhores roteiros já produzidos pela industria norte-americana e na história do cinema. A saga do homem que só quer estar de volta em casa no dia de ação de graças (espécie de noite de natal estadunidense), mas vê aviões, trens e automóveis tentarem estragar seus planos, enquanto terá a maior experiência de sua existência, é simples, correta e não necessita de argumentos secundários para ser exemplo de moral.

Vendemos cosméticos, e não a cura do câncer!

Vejamos, Neal Page não era a personagem escrota e sem princípios morais que recebe uma luz e se transforma no bonzinho depois de sofrer muito. Não mesmo, Neal é um pai exemplar, um ótimo marido e um executivo que sabe bem diferenciar prazer de negócios. A frase acima é dele. Peça para algum publicitário repeti-la!

Além de tudo isso, Neal é um gentleman. Só isso pode explicar agüentar Del Griffith durante 2 dias. O cara que rouba seu táxi, lhe incomoda no avião, dormindo e ainda fuma! Esse Del não é uma mala, é um baú cheio e pesado.

Mas Del Griffith é muito mais que isso. Ele é um cara sensível e de enorme coração. È uma pessoa que vai tentar lhe agradar de qualquer maneira, até mesmo do jeito errado, mas vai. Se Del pode ser condenado a alguma coisa, terá que ser punido por ainda ser uma criança num corpo de adulto. E isso nunca foi passivo de punição, não num filme de John Hugues.

Vocês estão indo na direção errada

Então que porra de lição de vida é essa, se temos de um lado um cara beirando a perfeição e do outro um homem-criança sensível? Bom, alguém mais esperto que eu já disse um dia: “Quando as diferenças vão se tornando semelhanças à humanidade vai se perpetuando”.

Antes só do Que Mal Acompanhado possui também uma das melhores trilhas completas de cinema, juntando belas e famosas canções, Mess Around, de Ray Charles, Everytime You go Away do Blue Room, com melodias feitas especialmente para o filme pelo compositor Ira Newborn, algumas delas inesquecíveis.

O final do filme reserva, ou nos brinda, com o maior baú (olha ele ai de novo) de tesouro que um ser-humano pode ter. É quando Neal entra no metrô de volta pra casa e olha pro relógio e percebe que não o tem mais e ri. Ele percebe que o sorriso sincero vale mais que a cara feia, o carinho e a preocupação valem mais que as palavras, um olhar apaixonado vale mais que o sexo, a brincadeira de amigos vale mais que a briga, e que a diferença se acaba na solidariedade.

Antes só do que Mal Acompanhado é uma obra-prima tão grande que nunca irá necessitar de fulgurar em listas, simplesmente porque ela vale mais que números.

♫ Cada vez que você parte. Leva uma parte de mim junto. ♫

8 comentários:

Otavio Almeida disse...

Meu favorito do diretor! É um dos meus favoritos de todos os tempos.

Abs!

Marcus Vinícius disse...

♫ Cada vez que você parte. Leva uma parte de mim junto. ♫ Foda isso.

Terei que revisitar os filmes do Hughes, vi somente uns 3 e há muuuito tempo.

E vem o Lúcio!!! E tomara que não vendam Victor/Réver.

Saudações!

Ygor Moretti Fiorante disse...

Grande dupla!!! e grande filme tb. clássico das sessoes da tarde rsss

Vinícius P. disse...

Esse filme parece ter muitos fãs, mas nunca vi!

cinevita disse...

COM CERTEZA deve ser melhor que a refilmagem fraca dos irmãos Farrelly. PRECISO encontrá-lo com urgência.

cinefilapornatureza disse...

Nunca assisti a este filme, mas fiquei com vontade de conferir após ler seu texto.

Marcel Gois disse...

Passando rapidinho só pra avisar que tem selo pra você lá no meu blog. =)
abraço!

Museu do Cinema disse...

Vlw Marcel! Vou ver!