27 julho 2009

Entre o Bem e o Mal

Adams æbler - Anders Thomas Jensen – 2005 (DVD)

I know your eyes in the morning sun
I feel you touch me in the pouring rain

Diz-se que a fé remove montanhas. E também que a fé o cega. As religiões as usam como melhor lhes convêm. Entre o Bem e o Mal discute toda a questão da fé a partir do bem e do mal, personificados no vigário Ivan (Mads Mikkelsen – de Casino Royale (2006)) e no neo-nazista Adam (Ulrich Thomsen – de Duplicidade (2009)), respectivamente.

Inspirado pela bíblia, em especial ao livro de Jó, o roteiro do diretor Anders Thomas Jensen cria uma comédia de humor negro, bem ao estilo dos Irmãos Coen, evidenciando questões subliminares – Ivan é um anagrama dinamarquês para ingênuo, e Adam é Adão.

Com enorme facilidade de situar o espectador, o cineasta dinamarquês opta pela banalização da violência para mostrar a superficialidade de nossas discussões, onde o que mais interessa é a “vitória” do que a riqueza dos argumentos.

7 comentários:

Kamila disse...

Premissa interessante. Gostei. Nunca tinha ouvido falar neste filme antes.

Pedro Henrique disse...

Opa, bem ao estilo dos Irmãos Coen, gostei!!!

E ficou muito massa o post de baixo!!! Abraço, gremista!

Vinícius P. disse...

Já escutei falar desse diretor, mas não exatamente de tal trabalho em especial. Pena que seja complicado encontrar um filme desses por aqui...

Ramon disse...

Anônimo... sim, verdade! É isso aí, concordo com o comentário.
Rrsrs! Cada coisa.

Cassiano... valeu pela dica. Parece uma obra interessante. Mas sinceramente só irei conferi-la se pintar em algun canal alternativo em algum momento que eu não esteja fazendo nada.

Abs!

Kau Oliveira disse...

Olá, Cassiano! Como vai?

Passando pra dizer que voltei com o blog!! Eis o link: http://bitlloflleverything.blogspot.com/

Abração!

Museu do Cinema disse...

Valeu Kau!

Caio disse...

"Inimigos Públicos é Michael Mann em sua melhor forma, equilibrado e correto. Possui de Collateral (2004) a intensidade da ação e o clima de desfecho ruim recorrente, de Fogo contra Fogo (1995) os diálogos e a tabelinha da dupla protagonista abrindo espaço para os coadjuvantes, e captura de O Informante (1999) a densidade do roteiro e dos diálogos."

Acredito que aqui você possa ter dito tudo.

Existem outras versões, entre elas uma de John Millus com meu queridíssimo Warren Oates no papel de Dillinger. Deve ser ótimo também...