16 abril 2009

Charlie Chaplin

Há 120 anos nascia em Londres Charlie Chaplin, um dos maiores cineastas do mundo. Um nome que fulguraria tranquilamente na sala vip do Museu do Cinema. Como homenagem publicamos essa poesia de sua autoria que temos em mãos há algum tempo. Atualização 29/10/2009: A leitora "Bia Pink" advertiu que esse poema não é de autoria de Chaplin, o que foi verificado por esse blog e constatado o erro, de qualquer forma fica como homenagem ao genial cineasta.


Viva!

Já perdoei erros quase imperdoáveis,

tentei substituir pessoas insubstituíveis

e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,

já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,

já dei risada quando não podia,

fiz amigos eternos,

amei e fui amado,

mas também já fui rejeitado,

fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,

já vivi de amor e fiz juras eternas,

"quebrei a cara muitas vezes"!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,

já liguei só para escutar uma voz,

me apaixonei por um sorriso,

já pensei que fosse morrer de tanta saudade

e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi, e ainda vivo!

Não passo pela vida…

E você também não deveria passar!

Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,

abraçar a vida com paixão,

perder com classe

e vencer com ousadia,

porque o mundo pertence a quem se atreve

e a vida é "muito" pra ser insignificante.

12 comentários:

Airton disse...

caramba nem imaginava q ja fazia isso heheh

vire seguidor do blog se tive afim...aki no seu tem essa opçao??

abraço

Marcel Gois disse...

Muito bacana esse texto.
Parabéns ao Chaplin pela 120 anos! =D

Kamila disse...

Que texto LINDO, Cassiano! Não conhecia!

Museu do Cinema disse...

Muito lindo né Kamila? Só poderia vir de um cara cheio de sensibilidade como Chaplin.

Vinícius P. disse...

Bela homenagem!

Ramon disse...

Ótima poesia!

A última frase é quase um mantra para mim. Rsrs!

"A vida é muito para ser insignificante".

Abs!

Caio disse...

Gosto de:

"Quantas vezes quis mostrar a verdade através da brincadeira".

Essa frase simplifica toda sua obra cinematográfica.

Marcus Vinícius disse...

Sensacional. Chaplin é mito.

Pedro Henrique disse...

Não me canso de ler. Chaplin é o maior gênio da história do cinema para mim.

Abraço!

shaun red disse...

Caralho, Chaplin foi foda! O Grande Ditador, Luzes da Cidade, Luzes da Ribalta são provas disso.

Legal a lembrança!

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Não foi à toa que Chaplin é o que é!

Bia Pink disse...

Oie!
Sou super fã do Charles Chaplin e posso garantir que ele NUNCA escreve palavras nem sequer parecidas com essas.
Pesquisei e verifiquei que a autoria deste poema é de um poeta chamado Augusto Branco.
Adoro esse texto e amo Chaplin, mas a César o que é de César, né?rs
Bj!!