20 fevereiro 2009

Quem quer ser um Milionário

Slumdog Millionaire – Danny Boyle – 2008 (pré-estreia nos cinemas)

Mumbai 2006.

Jamal Malik está a uma pergunta de ganhar 20 milhões de rúpias.

Como ele conseguiu?

A: Ele trapaceou
B: Ele é sortudo
C: Ele é um gênio
D: Está escrito

Não, não, o filme não tem nada a ver com o Big Brother, apesar do título nacional. Porém, outras duas coisas me incomodam em Slumdog, o filme se passa na Índia, e nós brasileiros fomos ensinados por Glória Perez que no país dos tecidos se fala português e não inglês como quer nos ensinar Boyle. E, como o filme é contado em flashbacks, poderiam arranjar um ator infantil mais parecido com o protagonista.

Tirando essas falhas, a primeira nem diria falha, chamaria de arranjos pro Oscar, O ex-independente Danny Boyle cria uma fábula sobre o amor, homenageando Bollywood, a maior indústria de cinema do mundo. Para isso ele escala a indiana Loveleen Tandan para co-dirigir a película com ele.

A fábula dos adolescentes Jamal Malik (Dev Patel) e Latika (Freida Pinto) é caricata, divertida e forçosamente dramática. O amor impossível sob o pano do submundo reforça a necessidade da língua original. A partir do momento que a película nos pergunta como Jamal conseguiu se tornar um milionário, a resposta, apesar de fabulosa e piegas, se torna o principal mote do filme, quando na verdade o que interessava é a finalidade daquele dinheiro.

Slumdog Millionaire é uma história de amor indiana, com a cultura daquela sociedade. É uma bela e romântica fábula baseada na novela Q & A de Vikas Swarup, e transportada para os cinemas pelas mãos de Simon Beaufoy. É uma belíssima história de amor que merecia mais cuidado técnico.

9 comentários:

Ramon disse...

Uhmmm...
Uhmmm...
Uhmmm... concordo com "forçasamente dramática", mas não de uma maneira ruim.
Uhmmm...
Uhmmm... "merecia mais cuidado técnico"? Mas aí não ia ser uma homenagem à Bollywood, como você comentou.
Uhmmm...
Uhmmm... acho que no geral concordo com sua opinião. Mas penso que gostei um pouquinho mais que você.

Abs!

Museu do Cinema disse...

Realmente tens razão Ramon, se tivesse mais cuidado técnico não seria a homenagem, de qualquer forma eu não conheço o cinema de bollywood, vi apenas um filme, e mais nada.

Otavio Almeida disse...

É, Cassiano, eu também fiquei encanado no início do filme com a qualidade técnica que você citou. Mas, depois, li uma entrevista do Danny Boyle dizendo que ele quis homenagear Bollywood. SLUMDOG até fecha com um número musical, pois produção que se preze de Bollywood precisa ter número musical.

Acabei assimilando a proposta da fotografia, a câmera na mão, ou seja, as intenções de Boyle. E o filme falou diretamente comigo. De forma emocional mesmo. Às vezes, isso acontece.

Abs!

Kamila disse...

Sinto que você não gostou tanto assim do filme... Eu tenho muita curiosidade em assistir ao longa do Danny Boyle porque acho que ele tem uma história que é fácil de causar identificação na gente - e eu adoro filmes que causam essa ligação com o público.

Bom final de semana!

Rogerio disse...

Bom, oq eu ia dizer ja falaram ai em cima. Esse descuido técnico é proposital.
Ele é minha torcida no Domingo!!

Abraço e boa diversao amanhã!

Kau Oliveira disse...

O que prova que Slumdog é uma homenagem à Bollywood (magnífica indústria, diga-se de passagem) é a cena da dança final - Jai Ho. Aquilo mostra a alegria do povo indiano, as cores dos filmes do país... excelente.

Ah, estou de volta à ativa!!!!!!

Abs.

Sérgio Déda disse...

Considero uma obra-prima! E dá-lhe Slumdog Millionaire hoje à noite!

Museu do Cinema disse...

Kau, o pessoal da India não gosta muito do filme.

Sérgio, menos, muito menos!

Pedro Henrique disse...

Bom, sou um estusiasta do cinema autoral e independente, por isso fiquei muito feliz com a vitória de Slumdog no Oscar.