22 fevereiro 2009

Oscar 2009

And the Oscar goes to...

Como já virou tradição aqui no Museu, todo ano faço um apanhado do que deve ser a festa do Oscar. Hoje, sem a transmissão dos canais abertos, teremos uma premiação mudada, além do apresentador, o australiano Hugh Jackman, a academia resolveu fazer alterações, o que desagradou o principal concorrente ao cada vez menos interessante, oscar de canção original, Peter Gabriel, que achou pouco tempo para apresentar sua obra.

Esse ano talvez seja o mais previsível de todos (sei que vou receber bordoadas por isso), O Curioso Caso de Benjamim Button (2008) é o Titanic (1997) da vez, nomeado para 11 categorias, é bom o gênio David Fincher preparar seu discurso de entrada no hall dos grandes nomes de hollywood, até porque fora dos EUA ele já entrou, e quem conhece um pouco de sua filmografia sabe que ele merece, mas Benjamim Button é muito mais que um simples agradecimento, é um vinho raro de uma safra escassa. Apesar do Oscar premiar produções a curto prazo, a película de Fincher agrega todos os tempos, a curto prazo é uma obra-prima, e a longo-prazo será um clássico irretocável.

Claro que temos os exemplares do ano, aqueles de sabores a curto-prazo, O Leitor (2008), mais um filme sobre o holocausto, e a atração juvenil com uma bela história de amor de fundo, bem fundo, Slumdog Millionaire (2008). São produções que no próximo ano irão se avolumar nas cestas de promoções dos grandes magazines. A médio-prazo temos duas produções de rara inteligência do cinemão norte-americano, a saga de Milk (2008), que tem tudo a ver com o atual momento político estadunidense, e Frost/Nixon (2008), que não deixa o povo esquecer do passado.

Porém temos também os injustiçados, com que nenhuma festa do Oscar pode se furtar a ter, o esquecimento de O Lutador (2008) revela essa face imediatista do prêmio, Gran Torino (2008) ainda mostra resquícios de saturação de um mesmo nome, afinal Clint Eastwood já ganhou estatuetas demais. Mas esse ano foi também quando a academia resolveu manifestar-se contra o lobby dos grandes estúdios, se antigamente a Miramax inaugurou o assédio financeiro aos jornalistas, a Warner disse a que veio, com mais recursos e menos escrúpulos, tentou de todas as formas emplacar suas produções, conseguiu uma, e mesmo assim não se controlou e ontem foi divulgado um lamentável papel com a assinatura do presidente da academia e a lista dos premiados com as preferências do milionário estúdio, obviamente desmentido pela academia.

O momento mais esperado da noite, pelo menos para o Museu, será na categoria de melhor ator, a premiação marcará uma certeza antiga e um sonho adolescente, além claro de um inédito espaço na festa para um dos maiores críticos do establishment hollywoodiano.

...Mickey Rouke.

10 comentários:

Marcus Vinícius disse...

O 'esquecimento' do Gran Torino chega a ser surreal, o melhor do cinema do Clintão em estado bruto. Enfim, também torcerei para o Button e para velho Rourke, além da torcida para que Wall-E leve tudo que foi indicado, pra compensar a sacanagem de ter ficado fora de melhor filme.

Saudações tricolores, quarta será o marco zero do TRI!

Abssss!

Museu do Cinema disse...

Valeu Marcus, como sempre estamos juntos!

Vinícius P. disse...

Pena que não deu para o Rourke, foi um dos poucos prêmios que eu mudaria. Mas no resto foi muito bom!

Anônimo disse...

Esse blog fazendo previsões é como um padre no carnaval.

Victor Nassar disse...

Humm, foi por pouco! hehe
Sei que não és dos fãs de "Slumdog", mas a identificação que o filme criou (comigo pelo menos) me deixou bastante feliz nessa noite de Oscar!!

"Benjamin Button" é um filmaço, mas considero bem justas suas indicações e seus prêmios.

E até torci por Mickey Rourke, mas aqui não temos muito o que contestar, as chances eram bem iguais mesmo.

Abs!

Kamila disse...

Cassiano, imagino que você tenha ficado frustrado com a derrota do Mickey Rourke, mas eu esperava que isso acontecesse - apesar de ainda ter que conferir o trabalho dele e do Sean Penn.

No geral, eu gostei mais do show em si do que dos prêmios que foram dados, afinal eles foram óbvios demais.

Kau Oliveira disse...

Não gostei de como anunciaram os vencedores nas categorias de atuação. Mas gostei muito da dinâmica da Cerimônia.

Ah, e claro: Slumdog com Mixagem de Som??? WTF????

Abs!

Ramon disse...

Triste, triste, o que aconteceu.
Daqui há cinco anos esse Oscar será lembrado como uma grande injustiça.
O Mickey Rourke pagou pela sua truculência. Rsrs! Mas até o Sean Penn ficou com pena.
A Kate Winslet também ficou com pena da Meryl Streep, mas ali o resultado é mais compreensível.

Abs!

Sérgio Déda disse...

Gostei bastante de todos os vencedores. Sim.. Fiquei triste pelo Mickey, mas Penn mereceu demais tb o prêmio. E os dois são grandes amigos... eles se entendem.

Museu do Cinema disse...

Kau, sem duvida, foi a gota dágua, ali percebia claramente que o lobby deu certo.