19 janeiro 2009

Cena de Cinema

O Curioso Case de Benjamim Button (The Curious Case of Benjamim Button – David Fincher – 2008 – Cinemas)

INTERNA. ESCOLA DE BALÉ, NEW ORLEANS - NOITE, 1967.

Daisy está sozinha, a música baixa toca ao fundo. Ela dança balé, como se ainda fosse uma profissional. ‘Você continua linda de se assistir’. Ela enxerga Benjamim pelo espelho da sala de dança, que assiste quieto. Daisy, corada, muda o assunto.

Esse é um momento especial da trama. É quando as diferenças físicas entre os dois serão menores, quase iguais. ‘Eu percebi que se você nasceu em 1918, há 49 anos atrás. E eu estou com 43, nós estamos quase na mesma idade. Em três anos nos encontraremos no meio’.

O clima é de puro romantismo. Os dois se abraçam. Benjamim a olha como se ela fosse à única mulher naquela sala, naquele estabelecimento, naquele bairro, naquela cidade, naquele estado, naquele país, naquele mundo. ‘Finalmente alcançamos um ao outro’. O olhar de Daisy é de pura admiração, eles se olham no espelho, ela tenta se afastar.

‘Fique aqui. Quero me lembrar como nós somos agora’.

Essa romântica cena é do cineasta de Se7en (1995), Clube da Luta (1999), Quarto do Pânico (2002) e Zodíaco (2007). Aos que demoraram a apreciar, sejam bem vindos, o nome dele é David Fincher.

8 comentários:

Marcus Vinícius disse...

A cena que mais me marcou foi na cabana de cobertores, ali confesso que me arrepiei. Filmão, eu gostei bastante.

Essa semana começa o especial lá no blog, seu texto será o primeiro. Que começe a batalha pelo continente.

Abraços!

Kau Oliveira disse...

Vejo que você simplesmente amou o filme mesmo, Cassiano! É uma bela cena, mas a minha preferido é quando Benjamin narra a colisão entre estranhos (o porquê do atropelamento de Daisy).

Abraços!

Museu do Cinema disse...

Marcus e Kau, são tantas cenas, nem diria que essa é a minha preferida, muito menos essas duas que citaram! Como disse, são tantas, impossivel escolher apenas uma.

Sérgio Déda disse...

Mais uma cena linda e poética de tantas presentes neste filme fabuloso.

Vinícius P. disse...

Na verdade prefiro outros do Fincher, mas a cena em questão é belíssima, ótima escolha!

Otavio Almeida disse...

Eu já deveria ter ido preparado ao cinema quando você disse que é uma obra-prima... Cassiano, Cassiano, poucas vezes concordamos...

Museu do Cinema disse...

Otávio, não entendi, vc não gostou do filme?

Ana Rodrigues disse...

Obra-prima. Meu filme favorito com minha atriz favorita ! Sem palavras para descrever.