03 novembro 2008

Sombras de Goya

Goya`s Ghost – Milos Forman – 2006 (DVD)

O títere está mal
O que lhe daremos
O títere está mal
O que lhe daremos
Uma surra de vara
Para que o matemos
Uma surra de vara
Para que o matemos

Francisco José de Goya y Lucientes foi o primeiro pintor da câmara do Rei Carlos IV em 1785. Conhecido pelo trabalho convencional e seguindo as regras acadêmicas, recebia encomendas da aristocracia. Em 1792 contraiu uma estranha doença ficando temporariamente paralítico, parcialmente cego e totalmente surdo, a partir daí seu trabalho ganhou novos contornos.

O cineasta tcheco, radicado nos EUA, Milos Forman pega esse “pano de fundo” para contar a história de Inés (Natalie Portman – escalada pela pintura de Goya “Milkmaid of Bordeaux”), uma modelo do pintor, de família aristocrata, acusada de fazer apologia ao judaísmo pela inquisição espanhola. Torturada e presa, ela recebe a visita do Padre Lorenzo (Javier Bardem), amigo de Goya (Stellan Skarsgärd), e que tenta interceder por ela junto à igreja católica.

Não sou daqueles que criticam veementemente a igreja católica pelas atrocidades cometidas. Acredito que, como todo homem, a igreja também cometeu e comete seus pecados. O importante é ressaltarmos isso, apesar dela “representar” o nome do Criador, ela é humana, é feita por homens pecadores como todos nós. A película trata disso, se a igreja comete suas crueldades, vem à revolução francesa e também erra, e o importante dessa discussão é termos essa noção de que, apesar das instituições e suas bandeiras, são representantes humanos quem carregam o nome delas, e nós somos suscetíveis a erros e julgamentos equivocados.

Não haverá liberdade aos inimigos da liberdade.

Apesar do filme ser falado em inglês, mesmo contando uma história européia, mais precisamente espanhola, e pecar na direção dos excelentes atores, o filme acerta no roteiro e no caminho escolhido para contar a história, porém a escolha em deixar solta a veracidade da trama acabou reduzindo o interesse pelo filme, e em épocas de blockbuster do cacife de Batman, Homem-Aranha, Homem-de-Ferro, e Homem-Lata foi um pecado imperdoável pelo público “cinéfilo”.

9 comentários:

Kau disse...

Cassiano, é inegável que a técnica desta fita é impressionante (principalmente a direção de arte e os figurinos). Mas senti falta de um roteiro bem mais consistente.

Abraços.

Kamila disse...

Incrível você dizer que o Milos Forman errou na direção dos atores, já que ele sempre se sai muito bem nesse quesito. A minha maior curiosidade em relação a este filme é a trama de cunho histórico - já que adoro filmes desse gênero.

Museu do Cinema disse...

Por mais incrível que pareça Kamila, é verdade, os mestres tb erram, parece que o Milos não tá tão empolgado como Amadeus por exemplo.

Romeika disse...

Cassiano, assisti a esse filme com altas expectativas, mas me decepcionei. Comeca bem, mas a segunda parte mais parece uma novela mexicana (o destino da personagem da Natalie Portman, filha, mae etc). Todavia, vale pelos aspectos tecnicos e por essa discussao que vc pontuou no segundo paragrafo do texto.

Pedro Henrique disse...

Fugiu absurdamente do propósito do filme. Errou feio Milos Forman!

Abraço!

Ramon disse...

Estou ansioso para conferi-lo, e sua resenha só me deixa mais empolgado.

Abs!

Otavio Almeida disse...

Quero muito ver esse filme do Milos Forman, Cassiano! Mas todo mundo se decepciona... Medo...

Enfim, obrigado pela lembrança na dificílima disputa pelo Memorabilia de sexta passada. Eu estive em POA para um evento que durou sexta e sábado... não parei por um segundo.

E não fui eu quem levou azar ao Grêmio. Ou então, o Flamengo estaria na liderança.

Abs!

Violinista do Cinema disse...

o que vc citou é algo certo, na verdade, Milos é um excelente diretor, um dos melhores, mas desde Larry Flint eu nao o vejo tão empolgado, mas nada de muito grave...
bjokas,
vivi

Museu do Cinema disse...

Otávio, por isso mesmo, vc sempre que se empolga com o Fla a coisa degringola, acho que levou esse zebu pra POA.