10 agosto 2008

Cinturão Vermelho

Redbelt – David Mamet – 2008 (Cinemas)

SEMPRE HÁ UMA SAÍDA.

Duas bolas brancas e uma preta são colocadas num vaso, o lutador escolhe uma, se tirar à branca, ele passa a vez para seu oponente, se ele tirar à preta terá que lutar com uma restrição, um braço amarrado, os dois braços amarrados ou os olhos vendados.


Engana-se quem acha que Cinturão Vermelho é um filme sobre luta, engana-se também quem acha que o Jiu-Jitsu é um esporte violento, um vale tudo de armas humanas – apesar de uma minoria de lutadores acharem isso, e por último, engana-se também quem acha que devemos ir contra nossos princípios porque o mundo conspira para isso.

Na realidade o novo filme do dramaturgo, cineasta e lutador de Jiu-Jitsu é o mais complexo de sua brilhante carreira. Na película se misturam a grife do diretor – aquela trama onde nada aparenta ser o que se mostra, o espírito do esporte versus a competição, e a dificuldade em ter princípios rígidos hoje em dia.

Mike Terry (Chiwetel Ejiofor) é o professor de Jiu-Jitsu de uma pequena academia em Los Angeles, sua mulher, Sondra (Alice Braga) é quem cuida das finanças do estabelecimento. Dois acontecimentos mudarão sua vida. O primeiro envolvendo um policial, um dos seus melhores alunos e uma advogada Laura (Emily Mortimer). O segundo evento é quando entra na briga do famoso ator Chet Frank (Tim Allen) na boate São Paulo de propriedade de Bruno Silva (Rodrigo Santoro).

9 comentários:

Kamila disse...

Acho que a minha maior curiosidade em relação a este filme é ver o Rodrigo Santoro e a Alice Braga num filme do David Mamet.

cineresenhas disse...

Cassiano, gosto muito de David Mamet como roteirista ("Hannibal", "Os Intocáveis", "Mera Coincidência"), mas não consegui admirá-lo como cineasta ao ver "Spartan" e "A Trapaça", dois longas chatíssimos. Espero que este "Cinturão Vermelho" seja algo mais vibrante.

Vinícius P. disse...

Tirando o elenco, não tinha nenhuma curiosidade em relação a esse filme, mas seus comentários me animaram. Abs!

Museu do Cinema disse...

Kamila, mas o filme é muito mais do que os brasileiros, alias, o filme tem muito do Brasil!

Alex, se vc não gosta do diretor, passe longe então.

Vinicius, tomara que sim! Abs

Cine Carranca disse...

Cara, realmente fico curioso sobre esse filme, ainda nao vi, mas tenho certeza que ou vou gostar muito ou vou achar uma grande merda!

mas so depois de assistir q poderei dar minha opinião.

falow

Vulgo Dudu disse...

Talvez não seja um filme sobre jiu jitsu, mas sobre o brazilian jiu jitsu - não sei, não o vi -, que é mais difundido no mundo do que a arte marcial que era praticada no Japão. É um esporte que não deveria ser violento, em sua natureza.

Deve ser interessante!

Abs!

Museu do Cinema disse...

Valeu carranca.

Dudu é sobre isso tb! A diferença entre luta e competição, no Japão é mais arte, no Brasil mais competição.

Carla Martins disse...

E, no fim, faltou sua opinião. Você amou, gostou simplesmente, odiou?

Vale a pena assistir?

Beijo!

Museu do Cinema disse...

Bom Carla, eu procuro comentar aqui os filmes que acho que valem a pena ver. Esse sem duvida é um deles.