05 agosto 2008

azulescuroquasepreto

azuloscurocasinegro – Daniel Sánchez Arévalo – 2006 (DVD)

Dirigido pelo madrileno Daniel Sánchez Arévalo, a película tem muito do cinema de Pedro Almodóvar, fugindo apenas na figura central do filme, que é centrada no bom ator Quim Gutiérrez interpretando o jovem Jorge, porteiro de um prédio residencial de classe média. Formado em administração, Jorge cuida do pai doente – ex-porteiro do edifício onde trabalha, dá assistência ao irmão presidiário, e se relaciona com a filha de uma moradora.

Suas frustrações são evidenciadas logo no inicio do filme e na vitrine de uma elegante loja masculina, infelizmente é a única crítica a sociedade consumista do século 21. Quando a película parece ir por esse caminho, ela se transforma num exemplar almodovariano sem a brilhante estética do premiado cineasta. A influência do cinema de Almodóvar sobre Sánchez é demonstrada nos minutos finais do filme, quando ele já dava mostras de enveredar no caminho da crítica social.

Jorge oscila entre o azul e o preto, entre a vida como porteiro, ou tentando galgar um emprego de executivo, e por andar tão perto dos dois lados ele fica no quase.

9 comentários:

Ramon disse...

Nossa, você tá fugindo radicalmente do cinema americano, não? hehe! Pelos menos é o que se percebe pelas postagens mais recentes.
Boa a dica. Pena que o filme não seja tão interessante. Quem sabe confiro se encontrá-la por aí!

Abs!

Museu do Cinema disse...

Ramon, se vc diz Batman, Múmia e outras coisas que o valham estou fugindo sim, mas não do cinema norte-americano, diria que do ruim cinema norte-americano. A diferença de Hollywood para Bollywood (capital onde se faz mais filme no mundo) é que 10% do produto de Hollywood vale a pena. Quando um país não tem tanta produção eles se esmeram mais. É o caso desse filme, que vale mais do que qualquer exemplar que esteja passando no cinema.

Kamila disse...

Cassiano, adorei o texto. Mais um para minha lista de filmes para assistir!

Me lembrei de você quando li um post do Hollywood Elsewhere falando sobre um cara que está apostando numa possível indicação ao Oscar para a Kristin Scott-Thomas pelo filme "I've Loved You So Long", do Philippe Claudel, sobre o qual você falou há algum tempo aqui no Museu do Cinema.

Lê aqui, Cassiano: http://hollywood-elsewhere.com/2008/08/jailbird.php

Rogerio disse...

Uma boa dica interessante. Vou consultar na locadora aqui.

ps: Q isso Cassiano?? Mumia tá batendo todos os recordes de bilheteria, logo, deve ser um filmao, hauahahauhaua :-)

Museu do Cinema disse...

Kamila, obrigado pela lembrança, acho meio preciptado, de qualquer forma é bom ver a Kristin com essa moral toda, e olha q ela tá viva e nem é norte-americana.

Rogério, filmão com certeza, o povo brasileiro é rico.

Vinícius P. disse...

Bem, se tem algo do cinema do Almodóvar aí, certamente é um filme que me deixou interessado...

Vulgo Dudu disse...

Perfeito o seu comentário sobre o comentário do Ramon. Fecho contigo. E que belo filme este deve ser. Já está aqui na fila...

Abs!

cineresenhas disse...

Eu também estou fugindo do lixo produzido pelo cinema americano em tempos recentes vistos com estes filmes pipocas (só vi "Batman" depois de muita insistência dos amigos). MORRO de vontade de ver "Azul Escuro Quase Preto", mas ainda não vi o danado em DVD.

Romeika disse...

Eh justamente esse "ficar no quase" do personagem a sensacao que tive do filme como um todo, como se mal tivesse compreendido a decisao que ele "faz" ao fim. Tem seus bons momentos, com essa clara influencia de Almodovar, embora nunca alcance o mesmo nivel dos filmes dele.