16 julho 2008

Swingtown

Swingtown – Alan Poul – 2008 (TV CBS)

O piloto Tom Decker prepara para aterrisar a aeronave, mas percebemos que ele está usando uma camiseta regata e uma cabeça feminina repousa nervosamente em seu colo. Ele então fala aos passageiros, através do som do avião, que todos se preparem para o pouso em Chicago, sendo interrompido pela dona da cabeça que lhe pergunta: - Estou sendo muito rude? Tom, que não esperava aquela interrupção, fecha o comunicador da aeronave e responde: - Não, você está sendo muito gentil.

Assim começa uma das séries mais polêmicas dos últimos tempos, que discorre sobre a troca de casais, o famoso swing, na década de 70, nos ricos bairros do subúrbio de Chicago. A cena descrita acima não passa de uma inocente e educada limpeza da calça do piloto, manchada de café, por outra aeromoça novata. E é uma alegoria do que será a série, que apesar do tema, trata o assunto com requinte e normalidade.Tom Decker (Grant Show) e Trina Decker (Lana Parrilla) formam o casal liberal. Bonitos, ricos, jovens, saudáveis e esportistas, o piloto e a ex-aeromoça são os liberais da história, promovem festas regadas a bebidas, quaalude e sexo na mansão do casal. São seguros da relação e apaixonados um pelo outro.

Bruce Miller (Jack Davenport) e Susan Miller (Molly Parker) são os novos ricos. Bruce fez muito dinheiro na bolsa de valores, e resolveu se mudar com a família para um bairro mais elegante e uma casa maior. Susan é a dona-de-casa que ficou indecisa com a mudança e com o estilo de vida liberal dos novos vizinhos, Tom e Trina. O casal tem dois filhos, Laurie (Shanna Collins), que tem uma relação tempestuosa com o namorado e admira demais o professor de literatura, e BJ (Aaron Christian Howles) um adolescente tímido descobrindo o sexo oposto.Janet (Miriam Shor) e Roger (Josh Hopkins) possuem um relacionamento tradicional e formal. Eram os antigos vizinhos e amigos dos Miller, e Janet ficou muito triste com a mudança da amiga inseparável Susan, e mais ainda com a nova amizade com a liberal Trina. Eles têm um filho, o adolescente nerd Rick (Nick Benson) amigo de BJ, filho dos Miller.Trilha sonora com os melhores hits da década de 70, figurino e cenários dignos das melhores produções hollywoodianas, uma direção centrada e de bom gosto, um roteiro inteligente e verossímil, e cenas carregadas de sensualidade, mas apenas sugestivas, compõem a nova empreitada de um dos criadores de ROMA (2006). Swingtown vai além da troca de casais, ela mostra uma época em que a violência, as doenças sexualmente transmissíveis, a corrupção e o desemprego eram assuntos inexistentes.

Para o casal liberal da série, a traição é inexistente a partir do momento em que Tom leva a nova aeromoça, que lhe tinha derramado café, para uma sessão de sexo em sua casa, juntamente com a sua esposa.

8 comentários:

Marcel Gois disse...

Que bom que você gostou! É ótima mesmo. É tudo de muito bom gosto, e dá pra notar todo cuidado em fazer uma coisa mais próxima do real possível sem necessariamente ser explícito. Pode até ser que não seja tão explícito por ser tv aberta, mas acho que do jeito que está ficou até melhor.

E quanto ao fato de correr risco de ser cancelada, parece que a CBS pode mesmo deixar de exibir a série, mas emissoras fechadas, como a HBO, já demonstraram interesse em comprá-la. Espero que aconteça o que for melhor para a série.

Você parou em qual episódio?

Vinícius P. disse...

"Swingtown" é uma série maravilhosa, desde já uma das grandes estréias da temporada. A CBS está de parabéns por continuar com esse programa que como você disse é um dos mais polêmicos que já vi. Além do excelente desenvolvimento dos personagens (e ótimas atuações também), vale a pena pelos detalhes cuidadosos da produção, como reconstituição de época e trilha sonora. Abraço!

Museu do Cinema disse...

Marcel, parei no terceiro, mas já estou com os outros no gatilho. Que boa noticia, acho que na HBO é o lugar ideal dessa série.

Vincius, abs.

Kamila disse...

Seu comentário é mais um dos ótimos que leio sobre "Swingtown". Espero que a série consiga um canal para ser transmitida por aqui.

Mateus disse...

Como não sou muito ligado em séries, nunca ouvi falar dessa em especial, mas parece ser boa pelo seu comentário ...

Museu do Cinema disse...

Kamila, uma das coisas que me fez escrever esse post foi isso, quem sabe com o burburinho que tá sendo feito, não aconteça?

Mateus, essa vale a pena, tem outras (a maioria é verdade) são bombas.

Kamila disse...

Tomara, Cassiano!

tania disse...

vai dar na fox life dia 23 as 21h