03 março 2008

O Caçador de Pipas

The Kite Runner – Marc Forster – 2007 (Cinemas)

Dirigido por Marc Forster, dos bons A Última Ceia (2001), Em Busca da Terra do Nunca (2004) e Mais Estranho que a Ficção (2006) e adaptado do best-seller homônimo por David Benioff, do bom A Última Noite (2002), O Caçador de Pipas tinha tudo para ser um excelente filme, mas derrapa justamente onde tinha know-how suficiente, roteiro e direção.

Baseado no livro do afegão Khaled Hosseini, que por si só já é uma obra adaptada para o cinema, à película sofre com a popularidade que a história tomou, transformando algumas frases em clichês batidos, “tem um jeito de ser bom de novo” e “por você faria isso mil vezes”.

A direção ao optar por escalar atores desconhecidos peca por não escolher as melhores opções, dificultando demais o andamento da história pela falta total de vontade do protagonista, que em nenhum momento parece embalado.

A história gira em torno de Amir, um escritor afegão de sucesso nos EUA que recebe um telefonema de um amigo e conterrâneo no Afeganistão pedindo sua presença lá para resolver um problema. A chamada lhe leva de volta ao passado quando vivia lá com o pai e o amigo Hassan, seu caçador de pipas.

8 comentários:

Otavio Almeida disse...

Não achei bom. Aliás, acho que tenho problemas com o Marc Forster.

Eu não li o livro, mas não achei o filme tão merecedor dessa badalação toda em torno da história do Khaled Hosseini.

Abs!

Pedro Henrique disse...

O filme, assim como o livro, desanda na segunda metade, tenta se manter mas não tem jeito, já perdeu-se totalmente.

Abraço!!!

Rogerio disse...

Nao vi, pq nao me interessei pelo livro.
Do Marc Forster, tem ainda o malucao "A Passagem" com a Naomi Watts e o Ethan Hawke, visse esse?

Museu do Cinema disse...

Otávio, abs.

Pedro, concordo.

Rogério, tem os Gritos na Noite tb que tb não vi.

Kamila disse...

Cassiano, acabei de publicar meu texto sobre esse filme e, curiosamente, usei a mesma foto. :-)

Concordo com você que os maiores problemas do filme são o roteiro e a direção. O primeiro falha na tentativa de colocar a emoção que transborda no livro. E o segundo erra na distância com que dirige os acontecimentos. O filme é muito frio! O que é uma pena.

Vinícius P. disse...

Gostei do elenco e da trilha sonora, mas no geral foi uma decepção, esperava muito mais por ser um filme do Marc Forster...

Museu do Cinema disse...

Kamila, falei a mesma coisa no seu post lá no cinéfila por natureza, e tenho o mesmo ponto de vista de vc sobre esse filme.

Vinicius, todos esperavam mais...

Otavio Almeida disse...

Também usei essa foto...