26 fevereiro 2008

Juno

Juno – Jason Reitman – 2007 (Cinemas)

O filme é a prova definitiva que um bom diretor é fundamental por trás das câmeras. Amparado num roteiro original, criativo e transbordando veracidade, Juno esbarra na direção fraca, cheia de clichês e que fica em cima do muro na escolha de seu público alvo, adolescentes ou adultos (talvez por isso fez tanto sucesso nos EUA).

Brooke Busey, mais conhecida como a ex-stripper Diablo Cody, pode ser chamada de a revelação do ano em Hollywood, não a toa saiu do Kodak Theatre no domingo, chorando e com um Oscar na mão. Mas ainda acho cedo para todo esse fenômeno.

Nos primeiro frames podemos sentir o que nos espera, enquanto a personagem interpretada por Ellen Page vai andando na calçada em frente às casas, a tela passa a ser invadida pela mesma imagem em forma de desenho. E assim o diretor canadense de Obrigado por Fumar (2005) vai nos mostrando seu talento moldado na Universidade de Cinema da Califórnia.

Juno, uma adolescente espirituosa, mas madura para sua idade, que se descobre grávida. Para piorar, o pai da criança é ainda mais despreparado. E depois de muito pensar ela resolve dar o bebê para um casal.

12 comentários:

Kamila disse...

Cassiano, eu acho que muito da qualidade de "Juno" nem depende de seu talentoso diretor Jason Reitman. Eu acho que a congruência do roteiro de Diablo Cody (também acho cedo para tanto auê em cima dela), do elenco (especialmente o trio Ellen Page, Michael Cera e Jennifer Garner) e da trilha sonora fazem de "Juno" essa obra que tem um apelo sincero, honesto e simples.

Museu do Cinema disse...

Kamila, aconselho-a a ler novamente meu post...

Vulgo Dudu disse...

Todo mundo falando desse filme. E falando bem! Tá na lista. Mas ainda não tive tempo de ver nem "Sangue negro". Uma lástima.

Abs.

Rogerio disse...

Ué, nao pesquei. Entao gostou mas nao é tudo aquilo pra estar lá?
Se for isso, to contigo.

Kamila disse...

Cassiano, eu prestei atenção direito no seu texto! :-)

Só me esqueci de colocar que concordava com você, já que você fala que "Juno" esbarra na direção fraca.

Museu do Cinema disse...

Dudu, vá ver Sangue Negro, aquilo é filme o resto é bobagem.

Rogério, o filme é isso mesmo, mas se vc quer que eu defina ai vai: um excelente roteiro e uma péssima direção.

Kamila, não acho o Reitman talentoso, alias, longe disso.

Ramon Scheidemantel disse...

Uhmm... nem vou comentar, Cassiano. Eu gostei um monte do filme. E pelo jeitos estamos em desacordo. Hehe, um forte desacordo.
Mas te entendo. Sempre que muita gente fala bem de uma obra interessante, mas sem nenhuma concepção artística mais apurada, o resultado tende a ser frustrante.

Abraço!

Kamila disse...

Cassiano, não?? Eu jurava que você era um grande fã dele. Pensava que tinha adorado "Obrigado por Fumar".

Pedro Henrique disse...

Definitivamente de acordo. Ellen Page e o roteiro de Diablo são maiores que o filme.

Abraço!!!

Museu do Cinema disse...

Ramon, é bem por ai mesmo a crítica.

Kamila, gostei sim do Obrigado por Fumar, mas esse Juno colocou tudo a perder para ele.

Pedro, são eles que sustentam o filme, e quando precisa do diretor ele estraga.

Vulgo Dudu disse...

Cara, que filme fraco. Muito fraco... Resenhei sobre o mesmo no meu blog.

Abs.

Museu do Cinema disse...

Fraco Dudu!