23 janeiro 2008

Gosto de Sangue

Blood Simple – Joel Coen – 1984 (DVD)

"O mundo é cheio de gente que reclama. O fato é que nada vem garantido. Não me interessa se você é o Papa de Roma, o Presidente dos EUA, ou mesmo o Homem do Ano. Alguma coisa sempre pode dar errado. Mas vá em frente, reclame, conte seus problemas ao vizinho, peça ajuda, e o veja fugir. Lá na Rússia eles planejam um jeito para que todos se ajudem. Pelo menos, é a teoria deles. Eu só sei do Texas. E aqui embaixo, você está sozinho".

Mulher, cansada dos maus tratos do marido, tem um caso com um funcionário dele. Abby (Frances McDormand) começa a sair com Ray (John Getz), que trabalha para Marty (Dan Hedaya) gerenciando o bar dele, The Neon Boots. Desconfiado da esposa, ele contrata um Detetive (M. Emmet Walsh) para flagrar a adultera. Comprovado a traição, ele pede ao estranho detetive que mate os dois. Mais clichê impossível.

O sensacional do cinema dos Irmãos Coen é justamente isso, suas sinopses são de um tema tão batido e repetido que, para quem não conhece, acha até absurdo ter alguém ainda a explorar o assunto. Porém, depois de passar dos primeiros minutos da película, a experiência vai se tornando algo inédito e maravilhoso.

A trama de film noir não é gratuita, a relação de Joel e Ethan Coen com o gênero é inseparável, mesmo quando os cineastas resolvem fazer rir. E Gosto de Sangue é salpicado de noir, desde a presença do detetive, a trama envolvendo assassinatos, e a fotografia inspirada no filmes de gênero da década de 30 e 40.

Outra característica forte do filme é o clima de suspense invertido. Ao ponto que nós (espectadores) sabemos de tudo que se passa, por estarmos “bisbilhotando” a vida das personagens, os atores nada sabem, e por isso muitas vezes nos pegamos tentando mostrar-lhes que estão enganados. Uma grande homenagem ao cinema de Alfred Hitchcock.

Gosto de Sangue é o primeiro filmes dos Coen. Ele foi reeditado, encurtou 4 minutos, e ganhou uma edição mais acelerada. Novas músicas foram adicionadas à trilha sonora, que na época não puderam ser aproveitadas pela falta de dinheiro no orçamento.

15 comentários:

Kamila disse...

Cassiano, não assisti ainda a "Gosto de Sangue", mas a impressão que eu tive foi justamente a que você descreveu: "mas, que história batida".

E concordo com você: com os Coen, nada é convencional. Até uma comédia romântica eles conseguem fazer de uma maneira diferente - o caso de "O Amor Custa Caro".

Museu do Cinema disse...

Kamila, veja esse filme, é como o Cães de Aluguel de Tarantino. É uma estreia espetacular.

Rogerio disse...

Esse filme nao tem a mínima cara de estréia. Parece que tudo foi feito por gente que sabia exatamente o efeito que queria causar.Coisa de genio mesmo.
Ele transborda humor negro nas mortes, ou na forma com que a vítima é "despachada".Tudo a ver com os Coen.
Aliás, acho esse o filme mais parecido com a obra-prima Fargo.Pelo menos dos que eu vi até agora deles.

Otavio Almeida disse...

Filmaço!!!! E Parabéns pela ótima entrevista, Cassiano! Que oportunidade maravilhosa! Eu ainda não tinha visto.

Grande abraço!

Museu do Cinema disse...

Rogério, concordo contigo, o filme é sensacional.

Otávio, valeu! Grande abraço.

Kamila disse...

Cassiano, vou tentar encontrar o filme.

Museu do Cinema disse...

Nas melhores locadoras com certeza Kamila. Se não faça a sugestão, pq é compra imperdivel, ainda mais agora com o Oscar, o primeiro filme dos futuros ganhadores do Oscar, será? Ou será PTA? ou nenhum dos dois?

Rodrigo Fernandes disse...

eu tenho que pegar uym dia e asssitir a toda a filmografia dos Coen...hehehe... achos ensacional essa dupla...
abraços

Museu do Cinema disse...

Rodrigo, eu não só recomendo que faça isso, como lhe digo que é melhor que cursar cinema, e muito mais barato.

Kamila disse...

Cassiano, acho que PT Anderson ganha o Oscar de Direção, "No Country for Old men" o de melhor filme, os Coen de melhor roteiro adaptado. Assim, todo mundo fica satisfeito. :-)

Museu do Cinema disse...

Kamila, eu quero é ver esses dois filmes e ai eu digo quem é o melhor, se fosse Magnólia contra Fargo, ficaria com Magnólia, mas se fosse E Ai meu Irmão Cade você? contra Boogie Nights ficaria com o dos irmão Coen.

Eu quero mesmo é empate, mas como é dificil, vou julgar por mim e jogar pro alto. Tb gostaria q fosse dividido, mas acho meio estranho ganhar melhor filme e não ganhar melhor diretor.

Ramon Scheidemantel disse...

Tá aí...esse eu não conheço. Preciso conferir urgentemente.
Gostei da referência ao estilo Hichcock de suspense.
Não sei se encontrarei a obra em qualquer locadora, mas será prioridade. Ótimo post!

Vinícius P. disse...

Vi a 'nova' versão recentemente e gostei muito, sem dúvida foi um início promissor. Diria até que é um dos meus cinco filmes preferidos dos Coen. E a Frances McDormand também foi outra ótima revelação desse "Gosto de Sangue".

Vulgo Dudu disse...

Esse filme tem uma das melhores cenas do cinema contemporâneo. O marido, depois de pegar a mullher no flagra, vai embora, entra no carro puto da vida e arranca. Aí, vem o comentário do Ricardão:

"Ele vai ficar mais puto ainda quando descobrir que esta é uma rua sem saída..."

Irmãos Coen! Genial!

Abs!

Museu do Cinema disse...

Essa é demais mesmo Dudu!