04 dezembro 2007

Sob a Areia

Sous le Sable – François Ozon – 2000 (DVD)

Os ingleses são fascinados pelo mórbido”.

A professora de literatura inglesa Marie Drillon (Charlotte Rampling) é casada com o francês Jean Drillon (Bruno Cremer), que gosta de um bom vinho e uma boa comida, como os franceses apreciam tradicionalmente. Sem filhos, a rotina do casal chega a ser muitas vezes silenciosa demais, mas, aparentemente, os dois não se sentem mal por isso.

Ozón usa da sua habilidade em criar suspenses ricos e de bom gosto, para entrar no relacionamento do casal de protagonista, a professora esportista em boa forma física, e o marido obeso despreocupado com aparências.

Não gostaria de evidenciar mais a trama, como li em muitas resenhas sobre o filme. Acho que o mistério é o principal elemento de Sob a Areia, e em geral dos filmes de François Ozón.

A atriz britânica que ganhou notoriedade em Hollywood nos anos 80, Charlotte Rampling parece bastante à vontade sob a direção do cineasta francês, o que viria ser evidenciado nos próximos projetos de Ozón. Sua interpretação da inglesa até certo ponto fria, é que sustenta o mistério do roteiro.

Gosto muito do cartaz francês do filme que coloquei ai na sessão ao lado, ele mostra uma mulher madura, mas sensual e misteriosa e, além do clima de mistério, traz um sopro de capa de livro.

10 comentários:

Kamila disse...

Cassiano, não só o cartaz do filme como a foto que ilustra o post são lindas. Não conhecia o filme, mas fiquei curiosa para assistir a este trabalho do Ozon.

Curiosidade: a Rampling foi musa dessa primeira fase da carreira do Ozon? Pergunto isso porque ela é presença constante em seus filmes.

Ramon Scheidemantel disse...

Acho que os franceses são assim mesmo; quietos e sem filhos. Sem querer julgar, mas talvez o péssimo humor deles se deva a falta de alegria infantil em suas vidas.

Marfil disse...

Não vi esse em particular, mas consegui ver o último dele: ANGEL. O filme foge completamente da temática dele. Mas dentro das pretensões do diretor é um bom filme. 8 MULHERES também é um excelente filme. Um típico cinema pipoca francês!

Rogerio disse...

Acho dificil que tenha esse filme nas locadoras daqui, mas memso assim, vou procurar.
Pelo jeito, esse é mais maduro do que o Swimming Pool não?

Museu do Cinema disse...

Kamila, a Rampling é musa do Ozón, além de participar desse, do Swimming Pool e tb do novo Angel, ele, repetidas vezes, já disse que é sua atriz preferida, e é evidente o despudor dela em cena nos filmes do cineasta.

Ramon, eu não conheço nenhum francês para dizer isso, mas o filme pode sim ter essa visão.

Oi Marfil, eu não vi Angel ainda. Mas pelas críticas e conteúdo vejo q se difere realmente da filmografia do Ozón. Gostei do cinema pipoca francês.

Rogério, é mais maduro sim, e dificil de ser encontrado tb, as melhores locadoras com certeza terão.

Kamila disse...

Cassiano, legal. Mas, eu acho que o Ozon encontrou uma nova musa. Ele tem falado que encontrou sua inspiração ao trabalhar com Romola Garai em "Angel". Acho que a atriz inglesa deve ser a nova Rampling na vida do Ozon.

Museu do Cinema disse...

Não sei não Kamila, musa é sempre musa, e só se tem uma. A não ser que ele esteja aposentando a Rampling, mas ai entra tb a concorrência da bela e boa atriz Valeria Bruni-Tedeschi.

Kamila disse...

Ou então, ele pode ter várias musas inspiradoras ao mesmo tempo. :-)

Museu do Cinema disse...

Quando vc fala de musas de diretores só me lembro do Woody Allen, que era Diane Keaton, passou para a Mia Farrow, que se tornou esposa, e agora é a Scarlett. Sempre uma de cada vez! Senão haja inspiração...

Kamila disse...

Com certeza, Cassiano. Uma musa de cada vez. Mas, o Ozon está mesmo impressionado com a Romola Garai.