09 novembro 2007

Leões para Cordeiros

Lions for Lambs – Robert Redford – 2007 (Cinemas)

Theodore Roosevelt foi presidente dos EUA em 1901 a 1909, responsável pelo desenvolvimento armamentista norte-americano, ele invadiu Cuba em 1906, e um ano depois, na Republica Dominicana, praticou intervenção militar. Roosevelt recebeu o prêmio Nobel da paz em 1906.

Você deve estar se perguntando o porque de começar esse post sobre Leões para Cordeiros, falando sobre um ex-presidente estadunidense. Pois foi Roosevelt quem cunhou a célebre frase que é o libelo do maravilhoso filme de Redford.

ENTRE A PAZ E A HONRADEZ, ESCOLHO A HONRADEZ.

Ai eu pergunto, a honra vale a paz? Ou a paz vale a honra?

Para cinco personagens do filme essa questão vai passar ou já passou por suas vidas. O senador Irving (Tom Cruise), um republicano cheio de argumentos a favor da guerra do Iraque. A jornalista Janine (Meryl Streep), que recebe informações bombásticas do senador sobre a nova estratégia norte-americana no Iraque. O veterano professor Malley (Robert Redford) que ainda tenta inspirar alguns alunos no meio da mediocridade e passividade dos corredores da universidade. E Rodriguez (Michael Pena) e Arian (Derek Luke) dois ex-alunos inspirados pelo professor Malley que se alistaram no exercito estadunidense, e agora se encontram no meio do campo de batalha no Irã.
Robert Redford, o criador do Festival de Sundance, é um nome de Hollywood daqueles em que se pode confiar de olhos fechados. Talvez Clint Eastwood tenha tantas coisas boas a dizer quanto ele.

17 comentários:

Alexsandro Vasconcelos disse...

Acabei de comentar no Hollywoodiano. Estou muito ansioso para assistir Leões e Cordeiros. Sinto que essa vai ser a estréia do ano. Creio que esse fim de semana ainda vou assistir.

Abraço

Otavio Almeida disse...

Li seu comentário lá no blog, Cassiano. Vc gostou muito do filme?

Abs!

Museu do Cinema disse...

Alexsandro, esse filme vale a pena, é sim a estreia do ano!

Otávio, YES!

Alex Gonçalves disse...

Cassiano, o público e crítica "metralharam" tanto "Leões e Cordeiros" que até perdi a vontade de ver o filme na tela grande, apesar do problema ser mesmo a falta de tempo e R$. Além do mais, é uma abordagem que deve surtir mais efeito quando eu ver futuramente em DVD no conforto do lar.

Museu do Cinema disse...

Olha Alex, se quer um conselho e gosta de filmes políticos, corra para ver esse.

Há muito tempo o que a crítica diz penso exatamente o contrário!

Alex Gonçalves disse...

Cassiano, o problema é que não sou lá tão fã de filmes de teor político.

E fico preocupado quando os comentários são quase unânimes a respeito de um filme - ainda mais quando é do próprio público.

Museu do Cinema disse...

Eu já penso ao contrário, não deixo me levar por comentários. Mas se vc não gosta mesmo do tema, voe longe!

Vinícius P. disse...

Gosto muito de temas políticos, aliás filmes assim sempre figuram entre os melhores do ano nas minhas listas. Tô desconfiado quanto a esse "Leões e Cordeiros", pois muita gente não gostou (incluindo os amigos blogueiros), mas com certeza verei ainda nessa semana.

Abraço!

Felipe Nobrega disse...

Acredito que é um filme que funciona melhor no DVD, em casa, podendo parar e buscar uma pipoca...

Kamila disse...

Cassiano, vou assistir a este filme hoje e seu texto foi um ótimo aperitivo antes da sessão.

Ramon Scheidemantel disse...

Estou vendo que o filme te chocou! Legal, isso! Vou assisti-lo, só não sei quando.

Museu do Cinema disse...

É Vinicius, a crítica detona! E dai?

É Felipe!

Kamila, não perca, acho que vai gostar! O final é sensacional.

Ramon, veja se for possivel, é um filmão!

Vulgo Dudu disse...

Roosevelt foi um assassino em forma de presidente. Quanto ao filme, não conhecia. Eu não sou lá muito fã de Robert Redford...

Porém, não peguei: do que se trata? Educação e política? Belicismo?

Abs!

Museu do Cinema disse...

Olha Dudu, o Roosevelt é belicista ao extremo, mas creio que haja uma enorme diferença entre ele e o Bush por exemplo, e é isso que ilustra a frase dele que repeti. Acho que ele seguiu-a como principio.

O filme se trata de tudo isso e muito mais, a partir do momento em que somos seres politizados, mesmo que não queiramos ser.

Kamila disse...

Cassiano, acabei de chegar em casa, depois de assistir "Leões e Cordeiros" e acho que o trabalho do Redford diretor foi bom.

Das histórias, as mais interessantes eram a dos soldados no Afeganistão e a conversa entre o Senador e a jornalista. Mas, entendo que a mensagem do filme é passada naquela trama do professor com o aluno.

No mais, do ótimo elenco, destaco a atuação do Tom Cruise e ele começa com o pé direito essa nova fase à frente da United Artists.

Museu do Cinema disse...

Legal Kamila, como te disse no seu blog, tivemos percepções completamente diferentes, mas chegamos a um senso comum!

Pedro Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.