25 outubro 2007

on the set: Baaria

Inauguro um novo post aqui, o on the set, onde iremos "visitar" as filmagens de novos projetos que julgo interessante. Espero que gostem!
Baaria é como é conhecida a cidade de Bagheria na Sicília, derivado do árabe, que foi um dos povos que tentaram tomar a cidade. Bagheria é a cidade natal do melhor cineasta italiano da atualidade, Giuseppe Tornatore. E Baaria é o nome de seu próximo filme.

Após o atual candidato da Itália ao Oscar de 2008, La Sconosciuta (2007), Tornatore começou na Sicília, sua cidade natal, no início deste mês, seu projeto mais pessoal. O filme ta sendo rodado entre Bagheria e Tunis, na Tunísia, e foi levado a produção as pressas por entusiasmados produtores, que acham esse o melhor filme da genial carreira do cineasta, que se preparava para fazer Leningrado.

O roteiro se passa entre as décadas de 30 e 60 e terá toda as características da infância do diretor siciliano, inclusive com personagens, algo semelhante a Cinema Paradiso (1988). Cerca de 200 atores, entre profissionais e amadores darão mais realidade a trama.

É muito bom tê-lo de volta! Tornatore sofreu traumatismos de uma violência gratuita no inicio de setembro, no bairro em que reside, em Roma, após ser assaltado. O retorno a velha Sicília seria um conselho do escritor italiano Leonardo Sciascia, que lhe disse que se continuasse a fazer filmes sobre a cidade não erraria nunca.

14 comentários:

Vinícius P. disse...

Ah, que legal, gostei dessa nova sessão! Estou ansioso pelo "La Sconosciuta", acho que o Tornatore deve novamente ser indicado ao Oscar. E tomara que o novo trabalho seja parecido com "Cinema Paradiso" - o qual finalmente vi nessa semana e fiquei maravilhado!

Abraço.

Museu do Cinema disse...

Ahh, legal Vinícius, queria eu ver Cinema Paradiso pela primeira vez...

Legal que gostou!

Kamila disse...

Quando eu vi que o filme do Tornatore tinha sido selecionado para representar a Itália no Oscar me lembrei de você, Cassiano.

Devo o amor ao cinema que tenho ao Tornatore (e seu "Cinema Paradiso") e é sempre muito bom vê-lo na ativa.

Adorei a nova seção do blog.

Marcus Vinícius disse...

Boa notícia hein, bom saber que um monstro do cinema está voltando e muito legal a nova seção. Quanto ao nosso time, agora é a nossa especialidade: jogar sob pressão em 'matar ou morrer'. Chegaremos!!!
Abraços!

Museu do Cinema disse...

Que ótima lembrança então Kamila, obrigado!

Realmente, lembro do que vc comentou no post sobre cinema paradiso, que é um ícone para qualquer cinéfilo, sem duvida, fiquei até emocionado com seu depoimento.

Oi Marcus, bom ver essa bandeira aqui novamente, não me canso de admira-la.

Vulgo Dudu disse...

Uau, não sabia do episópdio de violência! Tornatore é realmente um dos grandes realizadores italianos, que faz valer tudo o que o neo-realismo deixou de legado. Longa vida a ele!

Boa idéia a dessa coluna!

Abs!

Kamila disse...

Cassiano, você falou com o Vinícius sobre a emoção de asssitir "Cinema Paradiso" pela primeira vez. Mas, eu acho que, quando a gente assiste a este filme, a gente tem sempre aquele sentimento da primeira vez porque o filme que o Tornatore criou é tão mágico. Eu sempre me pego muito emocionada todas as vezes que assisto "Cinema Paradiso".

Bom final de semana!

Museu do Cinema disse...

Opa valeu Dudu, eu iria além do que disse, o Tornatore consegue ser extramamente artistico, poético e dogmático, sendo comercial.

Kamila, deixa eu te fazer uma sugestão emotiva então, Morricone conducts Morricone, deve ter nas locadoras, o maestro toca entre outras a trilha de cinema paradiso e começa ao fundo a passar momentos do filme, as lágrimas caem como cachoeira, e vc ainda sente os músicos completamente emocionados! Se vc ainda não viu Kamila, e como é fã de Cinema Paradiso, veja, te garanto a emoção!

Kamila disse...

Cassiano, não conhecia esse concerto (??) do Morricone. Anotei o nome aqui para procurar urgentemente. A trilha de "Cinema Paradiso" é uma das coisas mais lindas já escritas e cai como uma luva no filme do Morricone.

Kamila disse...

Me empolguei tanto que confundi Morricone com Tornatore... :-)

O filme é do Tornatore!!!

Museu do Cinema disse...

Percebi Kamila, mas o erro é justificavel.

cafe pequeno disse...

estava vendo seu post anterior e depois do comentário acho que vou locar o filme do Lumet. Tinha algumas resistências em relação ao Diesel, mas vamos ver e depois retorno (na segunda).

Museu do Cinema disse...

Vale a pena conferir sim!

Ramon disse...

Muito bom, estou aguardando ansiosamente!

Qual foi o trauma que ele sofreu? Foi espancado, humilhado... estuprado? kkkk!

Abs!