02 setembro 2007

Bobby

Bobby – Emilio Estevez – 2006 (Cinemas)

"As vitimas da violência são pretos e brancos, ricos e pobres, velhos e jovens, famosos e desconhecidos. Eles são, mais importante que tudo, seres humanos o quais outros seres humanos amavam e precisavam. Ninguém – não importa onde vivam ou o que fazem – pode ter a certeza de quem vai sofrer de um ato insensível de derramamento de sangue".

Com um discurso correto e empolgante, o caçula do clã Kennedy, Robert Fitzgerald Kennedy, ganhou a admiração dos jovens norte-americanos, mas um tiro silenciou e acabou com suas esperanças de seguir o caminho do irmão mais velho, John, e ser eleito presidente dos EUA. O mais importante disso tudo é que o discurso, do final da década de 60, vem ecoar no que presenciamos agora; violência, poluição, intolerância racial e guerra.

Bobby, dirigido pelo ator Emilio Estevez, filho de Martin Sheen e irmão de Charlie Sheen, narra o dia em que Kennedy receberia o resultado das primárias do partido democrata no Hotel Ambassador, em Los Angeles, derrotando McCarthy, no fatídico dia em que o palestino Sirhan Sirhan lhe tira a vida.

O filme gira em torno das personagens reais que tem suas vidas mudadas com esse episodio – um time de celebridades interpreta os papéis –, enquanto imagens reais de Bobby Kennedy, com seus discursos, são intercalados na película.

O discurso final, que tem um pedaço ilustrando esse post, é de uma riqueza e previsão impressionantes. Emilio, que foi levado aos 6 anos de idade, pelo pai ao hotel dias após o assassinato do senador, constrói um relicário de discursos que mereciam leitura nos nossos dias atuais.

15 comentários:

Kamila disse...

"Bobby" nem estreou por aqui, e seu texto me deixou ainda mais curiosa para assistir ao filme.

Museu do Cinema disse...

O filme é muito bom Kamila, vale a pena, e diante das estreias que temos tido, Bobby fica muito acima.

Romeika disse...

Eu gostei muito desse filme, realmente o discurso do Kennedy é superatual em tempos de guerra no Iraque e outras estripulias do Bush, com relação às políticas de meio ambiente, por exemplo.. Não sabia desse detalhe na biografia do ator/diretor, bem interessante.

Museu do Cinema disse...

Obrigado Romeika!

Vinícius P. disse...

Adorei esse filme, para mim um dos melhores do ano. O Emilio Estevez está de parabéns pelo trabalho na direção. A cena final é mesmo marcante, muito emocionante. Belo post!

Rogerio Scheidemantel disse...

Poxa, nem conhecia esse filme, e estou maravilhado com o elenco. Quando chega nas locadoras?

Museu do Cinema disse...

Valeu Vinicius, a cena final parece prever tudo.

Rogerio, deve tá logo nas locadoras, visto que não estreou em todos os cinemas.

Ramon Scheidemantel disse...

Também fiquei empolgado.

E fiquei surpreso em saber da direção de Emilio Estevez. Impossível não lembrar de Young Guns quando pensamos nele como ator.

Museu do Cinema disse...

Eu lembro sempre de Clube dos 5! Filmão!

Marcus Vinícius disse...

Eu também quero muito ver esse filme. Poxa, o elenco é um dreamteam. Por acaso sabe quando que ele chega nas locadoras?

Será que vejo uma luz no fim do túnel? Segue o baile e quarta é dia de somar mais 3 pontinhos.

Saudações e um abraço!

Museu do Cinema disse...

Oi Marcus, eu não tô muito confiante não, o time do Botafogo era uma traça e no primeiro tempo fomos um fiasco.

Só vejo o time vendendo craques e comprando ninguém, o SP tá 15 pontos a nossa frente, e os caras tão pensando em Libertadores?

Ou seja, mais duas derrotas e pensaremos na Sulamericana.

Ah, não sei quando o filme será lançado em DVD. Se tiver nos cinemas, corra para ver!

Marcus Vinícius disse...

Ah sim, o SP já é o campeão. Só uma catástrofe pra tirar o título deles. Eu sou a favor de voltar o mata-mata, hehe. =P

Pois é, o legal seria ir pra Libertadores, óbvio, mas como tu disse não podemos perder mais pontos. Terá que ser vitória atrás de vitória. Apesar de que, no ano passado, o time deslanchou quando teve a punição do Mano e quando o Olímpico ficou 6 jogos interditado. E quarta é contra o Vasco, adversário direto na luta da vaga. Com Marcel perdendo 300 gols por partida vai ser foda chegar lá, mas quem sabe meu amigo, quem sabe...

Enfim, qualquer coisa vamos ganhar a Copa do Brasil ano que vem, hehehehe.

Abs

Museu do Cinema disse...

Realmente o SP é o campeão, só o acumulo de incompetências tira o título deles. Agora eu concordo com os pontos corridos, eu vejo de outra forma, se o SP já é campeão na volta do segundo turno é por pura incompetência dos outros, o que é o Botafogo senão um cavalo paraguaio? Agora vem o Vasco e o Cruzeiro, no segundo eu até acredito, o Grêmio é um estudo a parte, foi mau na Libertadores, mas conseguiu ir as finais e se manter mediano no Brasileirão com time reserva, agora, vendeu todo o time e tá se remontando, mas sem ataque, como já era na Libertadores. Ou seja, esse ano o que vier é lucro, me preocupo é com próximo ano, Diego Souza? Adeus! Tcheco? Adeus! Saja? Adeus! William? Adeus!

Vamos ficar com Marcel e mais 10...

Romeika disse...

re:Sim, o vermelho da Julia Roberts em "Uma Linda Mulher" e aquele preto da Demi Moore em "Proposta Indecente" são clássicos. Os mais memoráveis dos anos 90, sem dúvida. ^^

Museu do Cinema disse...

Concordamos então Romeika!