29 julho 2007

Depois de Horas

After Hours – Martin Scorsese – 1985 (DVD)

Isso é uma ofensa prolongada. Uma cusparada no rosto da arte. Um ataque à verdade, à beleza, a Deus”.

O crítico de cinema Luiz Carlos Merten, que tem um blog e escreve para o jornal O Estado de S. Paulo considera esse filme o mais bem realizado e complexo da carreira de Scorsese. Para ele tudo não passa do grande medo masculino pelo feminino, representado na foto do tubarão decepando o pênis do homem num rabisco no banheiro, foto que ilustra esse post.

Eu confesso que sou fã de Depois de Horas, na minha opinião é um clássico moderno, mas vou além, acho que é uma crítica social, e uma grande homenagem a New York, bem ao estilo Woody Allen. Claro que tem a parte sexual, mas isso é usado apenas como ponto de partida, a partir do momento em que a personagem principal começa a querer voltar para casa e não consegue, o cineasta passa a explorar a condição humana e principalmente nossa evolução em círculos, evidenciado no final da película. Um filme genial.

O pacato e trabalhador Paul Hackett (Griffin Dunne) sente-se atraído por uma garota que conheceu no restaurante enquanto lia Trópico de Câncer, de Henry Miller e travam uma conversa sobre o livro. Marcy (Rosanna Arquette) acaba dando o número de telefone da amiga, a artista plástica Kiki (Linda Fiorentino) e, no pretexto de estar atrás de pesos para papel, Paul resolve ligar para a moça, que o chama até seu apartamento no Soho. Ela acaba de terminar um namoro e ele começa a desconfiar que a garota tem terríveis queimaduras no corpo.

A câmera inquieta e rápida, a cena da queda da penca de chaves, filmada como uma câmera em bungee jump, e a famosa câmera nos trilhos indo até a personagem e o pegando por trás para mostrar sua visão é a marca do cinema de Martin Scorsese. Ver essas cenas é como uma aula e deixa saudades.

8 comentários:

Romeika disse...

Nunca vi esse filme! E não sabia nada da trama, elenco... Vc me deixou com vontade de ver, faz tempo que queria fazer uma retrospectiva do Scorsese, tanto de filmes que vi como dos muitos que não vi. Esse parece bem interessante, Cassiano.

Museu do Cinema disse...

Vale a pena Romeika, eu adoro esse filme, sou fã mesmo!

Kamila disse...

Também nunca assisti a este filme e gostei tanto do texto que, assim como a Romeika, quero assistí-lo.

Achei particularmente interessante o elenco deste filme: Griffin Dunne, Rosanna Arquette e Linda Fiorentino, talvez, o elenco mais low-profile que eu vi num filme do Scorsese.

Boa semana, Cassiano!

Vinícius P. disse...

Um dos meus filmes preferidos do mestre. Não chega a ser uma obra-prima, mas tem certas características que ainda não conhecia do diretor. Apesar de ser uma fita de suspense na maior parte do tempo, o humor funciona muito bem, especialmente no final memorável.

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Puxa Kamila, obrigado, esse filme vale o aluguel, gostei do low profile...

Vinicius, é dos meus favoritos tb, mas considero sim uma obra-prima.

Bakemon disse...

Um dos meus preferidos. Assisti umas 345 vezes!

Museu do Cinema disse...

Somos dois então, já vi 346...

Anônimo disse...

Olá, tenho 34 anos, acho que assisti "Depois de horas", quando tinha uns 12/13 anos, é perturbador, e ultra atual, um dos prediletos da minha lista.