25 julho 2007

Caminhos Perigosos

Mean Streets – Martin Scorsese – 1973 (DVD)

Você não paga seus pecados na igreja. Você os paga nas ruas. Em casa. O resto é besteira, e você sabe”.

Apesar de não ser o primeiro filme do cineasta, esse é o Cães de Aluguel (1992) de Scorsese. É considerado como a grande estréia do diretor que viria a revolucionar o cinema norte-americano. A história é autobiográfica e conta à vida dos filhos de imigrantes italianos no bairro de Little Italy, em Manhattan, na cosmopolita Nova Iorque.

A trama segue o jovem Charlie (Harvey Keitel), que trabalha para o mafioso local, Giovanni Cappa (Cesare Danova) e tenta seguir seus conselhos de se afastar de companhias erradas como Teresa (Amy Robinson), que sofre de epilepsia e Johnny Boy (Robert De Niro) um irresponsável imaturo viciado em jogos. O problema é que Teresa é a sua namorada e Johnny seu melhor amigo.

O filme é destaque pelo uso inovador da câmera hand-held – na cena da bebedeira de Charlie – e que hoje é copiado a exaustão. Além disso, a película é um espetáculo e uma aula de direção com estilo sem deixar a forma ser maior que o conteúdo, Caminhos Perigosos traz uma das melhores performances da carreira de Robert De Niro, um ator extraordinário que pontua aqui muitos dos trejeitos que o Leonardo DiCaprio usa para atualmente ser o pupilo de Scorsese.

Nota-se também uma preocupação, que veio se perdendo com o tempo, com a realidade dos diálogos, que já começara com Quem Bate à minha Porta? (1967). Na verdade fica evidente a marca do cineasta quando participa na elaboração do roteiro, o que não vem acontecendo hoje em dia. Destaque também para a participação do diretor na cena mais importante do longa.
A trilha sonora começa a fazer parte da filmografia de Martin Scorsese, as músicas, quando não fazem fundo para as cenas, são partes do filme e servem como introdução para algumas cenas scorsesianas como Jumpin Jack Flash dos Rolling Stones, que você ouve aqui, ou ainda Be My Baby do grupo The Ronettes, que você ouve aqui. Sem falar no tenor siciliano Giuseppe Di Stefano com três músicas.

7 comentários:

Otavio Almeida disse...

Já é pirado desde a cena do Harvey Keitel se punindo no fogo da vela na igreja. A cena emenda com o "pecador" dançando no bar com garotas seminuas ao som de TELL ME, dos Stones.

Se não me engano, Scorsese comentou que o personagem de Keitel é um "santo moderno".

Ah! E Cassiano, não consigo te entregar A COR DO DINHEIRO amanhã. Só na segunda. Se for tarde pra vc, pode escrever. Eu fico com OS INFILTRADOS.

Abs!

Museu do Cinema disse...

Eu espero Otávio, a revisita tá atrasada mesmo, temos tempo fique tranquilo.

Kamila disse...

Mais um filme do Scorsese que eu não assisti. O texto está primoroso, Cassiano.

Otavio Almeida disse...

Ok, Cassiano! Obrigado! Então te entrego na segunda sem falta!

Abs!

Otavio Almeida disse...

E Kamila, tem um box do Scorsese com QUEM BATE À MINHA PORTA, CAMINHOS PERIGOSOS, DEPOIS DE HORAS e ALICE NÃO MORA MAIS AQUI.

Museu do Cinema disse...

Obrigado Kamila.

Espero sua resenha segunda Otávio.

Kamila disse...

O Cassiano já tinha me dito isso, Otávio. Inclusive que ele comprou a caixa na Saraiva. Essa caixa vai para a minha listinha de desejos...