21 julho 2007

The Big Shave

Esse é um dos primeiros filmes de Scorsese e traz uma trilha perfeitamente encaixada e um medo masculino, principalmente de quem ver. Percebe-se já a preocupação do cineasta com ângulos e movimentos de câmera

8 comentários:

Kamila disse...

Cassiano, viva o You Tube, que nos permite ver preciosidades como essa.

O que eu acho bom ao ver isso é que - no início - não tem a cara do Scorsese. Tem cara de comercial de produto de higiene. :-)

Depois, a partir do momento em que o cara começa a se auto-mutilar, imagino que seja algo dele. Sensacional a maneira como ele nos engana direitinho.

Adorei esse vídeo.

Bom domingo, Cassiano.

Alex Gonçalves disse...

Saudações, Cassiano!
Que bom já ter retornado a este “mundo”.
Scorsese é um ótimo nome para se fazer uma retrospectiva, especialmente quando estamos falando nada menos do que o sujeito que fez o magnífico “Cassino”. Tentarei acompanhar os filmes no decorrer da semana. Gostaria muito de saber em breve a sua opinião a respeito de “Vivendo no Limite”, um filme que também gostei bastante.
O curta “The Big Shave” é angustiante, dá vontade de interrompê-lo bem antes de chegar aos segundos finais.
Abraço.

Museu do Cinema disse...

Oi Kamila, é mesmo, no inicio parece comercial de barbeador, e das antigas esse...

Alex, obrigado amigo cinéfilo, tb curto muito o Vivendo no Limite, e Cassino, juntamente com Os Bons Companheiros, Taxi Driver, Touro Indomavel, A Cor do Dinheiro e Depois de Horas são para mim as grandes obras-primas do cineasta.

Alex disse...

Cassiano, confesso a você que não vi muitos filmes de Scorsese, mas, com exceção de "O Aviador", eu gostei de todos que vi. Entretanto, como comprei um novo VHS (fazer o que, eu me apego a certos aparelhos do passado), conseguirei aumentar a minha porcentagem de filmes já conferidos do cineasta. Alugarei em breve “Touro Indomável”!
Excelente semana para você.

Romeika disse...

Confesso que o curta me incomodou, e se não fosse pela sutileza da trilha sonora, que emprega até um certo "humor" durante todo o ato, não teria ido até o fim. Não que eu não aguente ver sangue falso, mas cenas de auto-mutilação são o meu fraco. Esse filme já denunciava o que viria a ser o estilo pessoal do Scorsese de fazer cinema.

O youtube é perfeito pra se encontrar essas raridades. Foi no youtube que eu assisti o primeiro filme (curta) da Sofia Coppola.

Otavio Almeida disse...

Cassiano, entrei no seu blog só hj. Ainda posso fazer os textos sobre A COR DO DINHEIRO e OS INFILTRADOS? Até qdo vc precisa deles?

Abs!

Museu do Cinema disse...

Oi Alex, eu não sei o que é VHS há algum tempo já, mas essa diferença no caso do Scorsese não será importante já que todos seus filmes foram lançados em DVD.

É Romeika, o YouTube é ótimo mesmo por essas raridades, o filme incomoda muito.

Otávio, A Cor do Dinheiro eu preciso logo, devo colocar no ar próxima semana, dia 30, Os Infiltrados é o último, ai vc tem mais tempo.

Abs

Otavio Almeida disse...

OK, valeu! Te entrego até sexta, ok?

Abs!