27 julho 2007

Alice não Mora mais Aqui

Alice Doesn’t Live Here Anymore – Martin Scorsese – 1974 (DVD)

Convidado por Ellen Burstyn para dirigir o filme, Martin Scorsese aceitou para provar que ele podia fazer um filme feminista. Ele vinha do excelente Caminhos Perigosos (1973), e Francis Ford Coppola o indicou para Burstyn, que tinha aceito o projeto da Warner Bros. A cena inicial é uma clara homenagem a Alice no País das Maravilhas, e logo depois, o estilo Scorsesiano invade a tela com o rock’n roll All The Way To Memphis do Mott The Hoople, mas infelizmente para os fãs fica somente nisso.

Esse filme rendeu o primeiro Oscar a Martin Scorsese, calma, explico melhor, impossibilitada de comparecer a cerimônia, Ellen Burstyn foi representada pelo cineasta que aceitou o prêmio em nome dela. Aqui começa a obsessão do diretor norte-americano pela estatueta dourada.

Alice (Ellen Burstyn) é uma mulher que sonha em ser uma cantora, mas que adiou o sonho para se casar, viúva precocemente, e tendo que sustentar o filho, ela acaba optando por vender a casa e pegar a estrada em busca de oportunidades até chegar a Monterey, e realizar seu sonho de virar uma cantora. No caminho ela conhece o violento Ben Eberhart (Harvey Keitel) em Phoenix e foge novamente para virar garçonete em Tucson ao lado da alegre Flo (a excelente atriz Diane Ladd, indicada ao Oscar e mãe de Laura Dern que faz uma ponta no final do filme). Seu filho passa a conviver com a espevitada garota Audrey (Jodie Foster – que mais parece um garoto) e Alice se apaixona por David (o cantor country Kris Kristofferson), um fazendeiro freqüentador do restaurante.

Alice não Mora mais Aqui é uma encomenda entregue a Scorsese onde ele não pode explorar suas técnicas que vinham em ebulição, isso acabou acontecendo em sua próxima película...

9 comentários:

Romeika disse...

Cassiano, vi esse filme numa sessão "Corujão" da Globo, muito muito tempo atrás. Lembro pouca coisa do filme, e uma dessas é a Jodie Foster novinha, novinha..quase criança. Achei as maneiras da personagem dela tão chocantes em contraste com sua idade e rosto infantil, que ficou na memória: "Quer endoidar hoje?" Quem sabe não foi daí que o Scorsese a escolheu pra "Taxi Driver".

Kamila disse...

De novo, Cassiano. Nunca assisti a este filme, apesar de já ter pego algumas cenas do mesmo no TCM. Mas, como odeio pegar filme no meio, nem terminei de assistir.

E, como sempre, o texto está ótimo. E não sabia que a obsessão de Scorsese pela estatueta dourada vinha de tão longo tempo. Pensava que tinha vindo a partir dos anos 80, com "Touro Indomável".

Bom final de semana!

Museu do Cinema disse...

Vc tem razão Romeika, eu achei a Jodie um menino, na primeira cena demorei para perceber q era ela e era uma menina...

Kamila, obrigado, a obsessão foi meio psicologa minha, eu acho que sim. Na minha opinião ele deveria ganhar o Oscar por Caminhos Perigosos, mas nós sabemos que o prêmio de melhor diretor vai muito mais pelo filme do que pelo trabalho de direção propriamente dito. E ai nunca lhe dariam um Oscar por Caminhos Perigosos, como não deram a Quentin Tarantino por Cães de Aluguel, e por ai vai. (É uma longa discussão)

Mas o fato dele ter uma estatueta nas mãos por uma perfomance que ele ajudou a desenvolver traz aquela vontade de tá lá um dia. Penso assim.

Marcus Vinícius disse...

Tá do caralho essa maratona do Scorsese. Vou hoje mesmo na locadora pegar pelo menos o 'Caminhos Perigosos', ainda mais com a analogia com Resevoir Dogs feita por ti.

Chegou a ver a homenagem da Geral pro vôo 3054? "...para os gremistas que lá do céu cantam comigo..." De arrepiar, coloquei o vídeo no blog, dá uma olhada se puder.

Abraços!

Museu do Cinema disse...

Valeu Marcus, vou voando lá ver, é por isso q esse time é especial.

Kamila disse...

Claro, Cassiano. A partir do momento em que o diretor vê o seu trabalho sendo reconhecido por um Oscar, mesmo que seja no nome de terceiros, deve despertar aquela vontade lá no fundo de também colocar as mãos numa estatueta daquela. E a gente bem sabe como o Scorsese perseguiu o seu tão sonhado Oscar.

Museu do Cinema disse...

E conseguiu né Kamila, para mim ele deveria ter ganho ou por Caminhos Perigosos, Os Bons Companheiros, Touro, Taxi, Cassino...

Kamila disse...

Eu acho que ele deveria ter ganho pelos quatro últimos filmes que você citou. Como não assisti ao primeiro filme citado, não posso falar a respeito dele.

lourival disse...

Martin scorsese é o melhor diretor de cinema, na minha opinião. quem não assistiu A ÉPOCA DA INOCÊNCIA, A ULTIMA TENTAÇÃO DE CRISTO e A COR DO DINHEIRO, além dos já citados, tem que correr para a locadora JÁ.