17 maio 2007

Femme Fatale

Femme Fatale – Brian De Palma – 2002 (DVD)

Açúcar não é melhor que vinagre?

Definição de Femme Fatale: Um dos elementos principais do cinema noir é a mulher misteriosa, atraente, perigosa, interesseira e muito sensual. Para esse tipo de papel uma atriz muito conhecida não é recomendável, uma desconhecida muito menos, a qualidade é obrigatória, porque além de manipular a trama, ela deverá nos manipular também, por isso ser convincente é essencial. Ser sexy é outro critério rigoroso, pode até não ter o corpo de uma playmate, mas precisa exalar sensualidade, porque essa será uma de suas armas. Por último ela deve ter a feminilidade e a fragilidade necessária para deixar um homem apaixonado.

As cenas parecem todas elaboradas e ensaiadas, como num balé, para o grand finale, o momento do clímax, a revelação, o ápice, ou seja, uma foto. E De Palma é mestre nisso, isso é incontestável. O roteiro poderia ser transformado em dois filmes que daria duas excelentes películas, juntas, funcionam ainda mais no clima noir que o cineasta adora.

Rebecca Romijn-Stamos está perfeita na pele da femme fatale que seduz a modelo Veronica (Rie Rasmussen), o paparazzi Nicolas Bardo (Antonio Banderas) e o milionário/diplomata Sr. Watts (Peter Coyote), depois de roubar uma jóia no Festival de Cannes e passar a perna nos dois comparsas. Ela se inspira em Pacto de Sangue (1944), de Billy Wilder, que vê na TV antes de executar o roubo.

14 comentários:

romeika disse...

Lindissima a Rebbeca Romijn neste filme. Vi outro noir do De Palma recentemente, "Dalia Negra", que perdi nos cinemas. Achei regular, esperava mais devido ao trailer. Jah "Femme Fatale" eu gostei bastante.

Museu do Cinema disse...

Dália Negra é mais dificil realmente Romeika, por se tratar de uma história verídica, manipulada para se tornar um noir.

Femme Fatale já é diferente, ele foi concebido para isso, ele é noir por natureza.

A Rebbeca tá LINDA.

Túlio Moreira disse...

Todos vão falar que sou suspeito, mas FEMME FATALE é uma obra-prima!

De Palma finalmente saiu do fundo do poço depois de filmes bons, é verdade, mas sem repercursão (o último sucesso tinha sido Missão: Impossível).

A manipulação narrativa nesse filme é incrível, o roteiro trabalha muito bem a velha moral de que "errar uma vez é humano, persistir no erro é burrice" e o filme funciona muito bem tanto esteticamente quanto no desenvolvimento da história.

abs!

Lua Obscura disse...

Adoro "Femme Fatale" e irrita-me por vezes vê-lo ser tão injustamente criticado e tão pouco compreendido. Como outros filmes de De Palma.

Cumprimentos cinéfilos

Museu do Cinema disse...

Mais uma vez Túlio vc tá coberto de razão, gostei do "manipulação narrativa".

Lua, tb concordo com vc, mas não me irrito mais, pelo contrário, tenho uma forte tendência a gostar ainda mais quando o filme sofre críticas desse tipo.

Marcus Vinícius disse...

Obra-prima é a Rebecca Romijn nesse filme, ave maria... =D

Otavio Almeida disse...

Concordo com o Marcus Vinicius!

Abs a todos! E bom final de semana!

Museu do Cinema disse...

Tb concordo!

Kamila disse...

Eu gosto muito de "Femme Fatale". A Rebecca Romijn está realmente muito bonita no filme. E é ela mesmo que move toda a narração do filme. Gosto muito mais de "Femme Fatale" do que de "Dália Negra".

Bom final de semana!

Alex Gonçalves disse...

Este é o meu segundo filme predileto do grande De Palma (meu favorito até o momento é "Vestida Para Matar"). Existe absolutamente tudo o que há de melhor no diretor em duas horas de duração: sequências antológicas, desempenhos profundos, trilha sonora memorável, bela fotografia e outras inúmeras qualidades. Obra-prima parece um adjetivo pequeno para definir este filme tão perfeito. Curiosamente, participei nesta última sexta-feira de uma palestra administrada por Miguel Machalski, do qual trabalhou como consultor no roteiro de Femme Fatale. Devo escrever a respeito desta palestra em breve.
Abraço.

Museu do Cinema disse...

Fiquei curioso sobre a palestra Alex.

Abs

Alex Gonçalves disse...

Pode deixar que estarei arquitetando um texto a respeito. Foi uma experiência mágica ouvir duas horas de um sujeito que trabalhou com pessoas badaladas lá fora.
Tenha uma boa semana.

Life disse...

Gostaria muito de saber o nome da música em que "REbbeca" faz um strip pro "Antonio Bandeiras"... tô procurando que nem uma louka informações sobre a trilha sonora e não acho!!!

Museu do Cinema disse...

Life, me mande um e-mail (museudocinema@hotmail.com)

que te mando o nome e se quiser o mp3 dela. Só não falo aqui pq não o sei de cabeça e o arquivo (mp3) tá em casa.