13 março 2007

Inacreditável

Inacreditável - A Batalha dos Aflitos – Beto Souza – 2006 (Cinemas – SP e DVD)

Algumas pessoas acham que futebol é uma questão de vida ou morte.
Eu discordo.
Futebol é muito mais importante que isso.
Bill Shankly – ex-técnico do Liverpool.


Existem coisas no mundo inexplicáveis, fatos heróicos, lendas e outros tipos de histórias que permeiam nossa cultura popular. Esses relatos geralmente são contados com certa dose de sensacionalismo, mas, de fato concreto, ou até provas, não se tem nada.

Para quem ama o futebol, não só como um esporte, sabe de seus efeitos nas pessoas, e sabe o quanto histórias como essa são impossíveis de acontecer. Apenas 7 homens de um lado do campo vestem azul, contra 11, e mais uma platéia de torcedores excitados, num caldeirão vermelho de 40 graus, em decorrência de um pênalti erroneamente marcado. Se fossemos colocar a matemática em campo, provavelmente o índice giraria em torno dos primeiros zeros.

E foi justamente assim, que um clube, que tem na sua história, momentos de superação e inconformação, que não só conseguiu reverter um resultado, como fez o impossível.

Um clube que nasceu da razão do esporte, a bola, num país inigualável, mas fora do eixo da meca do futebol, porém que conseguiu, com o tempo, reverter essa sina, se transformando no clube nacional com o maior número de títulos nacionais e estrangeiros juntos.

O filme-documentário é item obrigatório na coleção dos amantes do futebol. Narra a trajetória desde o descenso a segunda divisão de forma trágica, mas também reservada de superação, até o retorno a elite do futebol brasileiro, de forma heróica. Traz ainda momentos do jogo decisivo, assim como de todos os jogos do campeonato, e ainda depoimentos de torcedores anônimos e ídolos tricolores, como o técnico pentacampeão mundial Luiz Felipe Scolari, numa revelação cheia de surpresa, da atriz e modelo Fernanda Lima e do grande ícone de raça do time e eterno camisa 7, Renato Gaúcho.

A direção musical de Lucio Dorfman merece aqui os elogios, sem usar de pieguices, ele transformou o conhecido hino, composto por Lupicínio Rodrigues, em um tema musical perfeito, que acompanha dois garotos, de apenas 17 anos, rumo a um momento histórico de um clube centenário, e um goleiro, logo um goleiro, para que não esqueçamos de Lara, eternizado no hino, imortal no clube. Veja o trailer aqui. E compre o DVD aqui. Ou leia mais aqui, no blogueiro gremista Marcus Vínicius, do Caminhante Noturno.

Uma prova, um documento, para que nunca alguém duvide do poder do ser humano. A redenção de um clube acostumado a glórias internacionais e insuperáveis dentro do futebol mundial, mas que exibe em destaque, com orgulho, um troféu de um campeonato nacional secundário onde o valor “financeiro” é irrisório, porém carregado de alma! O que, no final, é a única coisa realmente importante na vida.

31 comentários:

Túlio Moreira disse...

Assistindo alguns jogos antigos na TV Cultura, constatei o quanto as filmagens de jogos nas décadas de 30 ou 40 eram cinematográficas, não só pelo modo como eram feitas, mas por seu estilo glamuroso e elegante. Se hoje o futebol televisionado perdeu um pouco desse "classicismo", acho cada vez mais importante filmes-documentários que registrem a paixão do brasileiro por esse esporte fantástico, não importa que clube esteja retratando.

Abs!

Museu do Cinema disse...

Tenho essa mesma imprensão Túlio, os filmes do canal 100 são realmente muito bem feitos, alias, produzidos para passar nos cinemas.

O futebol faz parte de nossa cultura, ir contra é como fazer gol contra.

Otavio Almeida disse...

Quero muito ver o documentário... o Grêmio é gigante! E fico feliz que o filme aborde um time fora do eixo Rio-São Paulo.

Abs!

Marcus Vinícius disse...

A gente troca de mulher, troca de religião, troca de partido político, troca de emprego, se duvidar troca até de mãe, mas o time do coração é sagrado e intocável. Isso pra mim é a prova cabal de que, pelo menos para uma esmagadora maioria, o futebol faz parte de nossas vidas assim como da nossa cultura.

Já quanto ao jogo... bah, nem tenho mais o que dizer. A frase do Shankly resume perfeitamente o sentimento da coisa toda.

Belíssimo texto amigo. Abraços tricolores! =]

Carla Martins disse...

Gente, preciso falar: EU AMO FUTEBOL!!!!!

E, só de ler seu post, já fiquei empolgada e emocionada! Quero muito ver o documentário!!!

Bjs

Museu do Cinema disse...

Otávio, vc como flamenguista e apaixonado por futebol não deve perder o filme.

Marcus, não vou levar o elogio por vc ser tricolor, ou seja, suspeitissimo para falar, no entanto és uma pessoa de excelente bom gosto, vide o time que torce, portanto o elogio vem em dobro, obrigado!

Museu do Cinema disse...

Poxa Carla, que legal, mulheres geralmente não curtem muito, é sempre bem vindo ter a mulher na torcida.

Veja o filme sim, eu sou suspeito para falar como gremista, mas vale a pena.

Kamila disse...

Eu sou uma das poucas mulheres que ama futebol.

Grêmio e Náutico, pelo quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B de 2005, foi um dos maiores jogos de futebol que eu já assisti. Me lembro até hoje da minha cara de incredulidade com tudo aquilo que estava acontecendo (dois pênaltis perdidos, um time com sete jogadores fazendo um gol).

Acho que o futebol é um dos poucos esportes do mundo em que o heroísmo e a vilania caminham lado a lado. O herói de hoje pode ser o vilão de amanhã. O vilão de hoje será o herói de amanhã.

Não existe maior alegria do que ver o time do coração conquistando algo muito importante. Melhor do que isso é viver tudo in loco. Tive esse prazer no final de 2006, vendo meu Mecão subir para a primeira divisão do futebol brasileiro.

Nossa trajetória não foi tão sofrida quanto a dos gremistas, mas foi tão heróica, pois, como um time do Nordeste (e não dos centros ou da Bahia, Ceará, Pernambuco), tivemos que lutar contra arbitragens mal intencionadas... Valeu muito a pena e espero que meu time possa permanecer ao lado dos grandes em 2008!!!

Museu do Cinema disse...

Nossa Kamila, mas que beleza, dois comentários femininos aqui, acho que todos os homens vão concordar comigo, vcs são muito bem vindas quando o papo é futebol.

Parabéns pelo mequinha Kamila, o nordeste merece muito, acho que é a região do Brasil mais apaixonada pelo futebol e com menos tradição. Tomara que o mequinha venha para ficar...

Kamila disse...

O Mecão veio para ficar, se Deus quiser. Já estamos aqui em casa em contagem regressiva, prontos para assistir todos os jogos. Vou ao estádio sempre que posso e não vai ser diferente esse ano.

A movimentação com o campeonato brasileiro vai ser ótima para a cidade e, principalmente, para a torcida fanática do América.

Museu do Cinema disse...

Vai ser com certeza Kamila.

Marcus Vinícius disse...

É bom mesmo ver mulheres que curtem futebol. Kamila, boa sorte ao Mecão, que ele faça um belo 2007.

Cassiano... po, assim tu me deixa encabulado. =D

Ah, tem esse vídeo do jogo com a narração de Haroldo de Souza, um dos melhores narradores esportivos do rádio gaúcho. A emoção a mais que ele dá é de arrepiar. Vale a pena conferir.

http://www.youtube.com/watch?v=hkDjFI5OKqg

Até mais!

Otavio Almeida disse...

Kamila, vc torce somente para o América - RN? Tem algum outro time da massa? Tipo... Flamengo?

Bjs!

Otavio Almeida disse...

Cassiano, tem um comentário que eu fiz em sua crítica de TRAFFIC... acho que vc ainda não leu... faz um tempão. Depois vê lá...

Abs!

Túlio Moreira disse...

Eu sou colorado! (Vila Nova de Goiás, êêêêê!!!!!!!!!!!!!)

Museu do Cinema disse...

Marcus, Valeu pelo video, narração emocional ao cubo.

Otávio, me perdoe amigo, passou despercebido mesmo. Mas vc tá tentando cooptar a Kamila, isso não vale, deixa ela com o América dela rapaz.

Túlio, não ai em Goiânia que tem um time chamado Colorado? Que fez muito sucesso na década de 70. Virou o Vila Nova?

Túlio Moreira disse...

Não, Cassiano! Segundo o site oficial do clube, o Vila Nova - que tem a maior torcida do Centro-Oeste - já se chamou também Operário Futebol Clube e Araguaia Futebol Clube. É um dos clubes onde jogou Túlio Maravilha ("Túlio Maravilha, nós gostamos de você / Túlio Maravilha, faz mais um pra gente ver"), muito famoso no finalzinho dos anos 80 e comecinho dos anos 90 (na época ele jogava pelo nosso maior rival, o Goiás Esporte Clube). Aliás, é daí que vem o meu nome. Cassiano, acho que você está certíssimo quando comentou que ir contra a cultura do futebol é o mesmo que fazer gol contra.

abs!

Otavio Almeida disse...

Valeu! Já respondi lá... Reabrindo uma discussão sobre TRAFFIC. Esses cinéfilos...

Abs!

Museu do Cinema disse...

Túlio Maravilha, quem diria...

Otávio, mais uma discussão? vamos lá...

Kamila disse...

Otávio, sou torcedora fanática do América-RN e do Corinthians-SP. Um alvirrubro e um alvinegro. Tudo a ver, né? :-)

Museu do Cinema disse...

Aquela velha história, Corinthians e Flamengo é sempre o segundo time dos centros menos tradicionais.

Marcus Vinícius disse...

Só pra não perder a flauta...

DALE, DALE, DALE VELEZ, TE SIGO A CUALQUIER LUGAR!

Hihihihi...

=D

Museu do Cinema disse...

O negocio anda ruim pros vermelhinhos mesmo, mas até torço por eles, gostaria de vê-los na final.

Otavio Almeida disse...

MEEEEEEEEEEEENGOOOOOOOOOO!!!!!!!!!

Museu do Cinema disse...

É Otávio, o Flamengo tá bem, vamos ver até quando.

Otavio Almeida disse...

Convenhamos, pelo menos, o Flamengo precisa (neste ano) jogar para recuperar o RESPEITO. Para só depois... talvez no ano que vem, pensar em títulos.

Não acha?

E boa sorte no jogo desta noite!

Museu do Cinema disse...

Bom Otávio, acho que o Flamengo é um time atemporal, ano passado, brigando pelo rebaixamento, conseguiu ser campeão da copa do brasil trocando de treinador perto da final.

Acho que o problema de seu time é o campeonato brasileiro...

Obrigado.

Otavio Almeida disse...

Bom, na verdade... no ano passado nós não brigamos para não cair... mas sim de 2000 a 2005 (nossa). No ano passado, sempre ficamos lá pelo meio... Nem mais, nem menos. Mas é muito pouco para o Flamengo.

Só acho que o Flamengo precisa recuperar o respeito. Para isso, tem que acreditar que pode ganhar a Libertadores, ou seja, pensar alto. Não acho mesmo que o Flamengo possa ganhar essa Libertadores. Mas assim, recupera o respeito. Antigamente, era muito difícil um time de fora do RJ derrotar ou mesmo empatar com o Flamengo no Maracanã. Isso tem que voltar... antes de pensar em um título desse.

Mas vamos falar... Quem é favorito? São Paulo? Santos? O São Paulo vai ganhar tudo SEMPRE?? Pq o Grêmio não pode ganhar? O próprio Rogerio Ceni já disse que Libertadores é "mais transpiração do que inspiração". Veja o seu grande rival (o Inter). Não era o "Poderoso Inter" até outro dia??

Viajei demais?

Abs!

Marcus disse...

Otávio, acredite sempre. Bem, pessoalmente não simpatizo muito com o mengão (a Globo ajuda muito nisso), mas que é um dos maiores clubes do mundo é inegável. Enfim... se em 2005 algum gremista falasse que em 2006 disputariamos o título do brasileirão e entraria na Libertadores em 2007, seria achincalhado por todos. O Flamengo passou por maus bocados mesmo, mas tá dando a volta por cima.

Pegamos de exemplo 26/11/2005. Tenho certeza que o mais fanático dos gremistas estava desolado, no limite do abatimento, quando deu a confusão.

Talvez seja fanatismo, talvez seja cegueira, ou até mesmo clubismo, mas eu sempre acredito no time, e por mais que esteja fraco tecnicamente, sei que raça e vontade não irão faltar. E sim, rumo a Yokohama em dezembro!

Otavio Almeida disse...

Okay, rapaz! Tenho que acreditar mesmo, não é?

E faz frio em Yokohama em dezembro, viu?

Abs!

Museu do Cinema disse...

Nós sabemos Otávio, nós sabemos.