06 março 2007

Borat

Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan – Larry Charles – 2006 (Cinemas)

Saindo do banho, Borat Sagdiyev (Sacha Baron Cohen) encontra seu amigo e produtor, Azamat Bagatov (Ken Davitian) nu na cama do hotel, se masturbando com a revista da sua deusa e obsessão, Pamela Anderson. Devidamente censurados, Borat por uma tarja preta, e Azamat por uma bizarra barriga, os dois começam a brigar num ritual que mais parece uma transa homossexual, o avanço do embate rompe as paredes do quarto, e os dois homens nus saem pelo hotel para constrangimento geral dos hóspedes.

Essa cena ilustra um pouco da intenção do filme Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América, uma pitada de nonsense, muito humor, escatologias e divagações politicamente incorretas, tudo isso para brincar com a ganância dos judeus, ignorância e patriotada norte-americana e o ridículo do ser-humano, utilizando câmeras escondidas – algumas poucas vezes, e uma incrível facilidade em extrair interpretações convincentes.

Baseado na personagem Borat, criação do comediante inglês Sacha Baron Cohen para o programa da TV inglesa Da Ali G Show (2000), o filme narra as aventuras do repórter Cazaquistão que vai aos EU e A fazer uma série de reportagens para a TV local. Em território norte-americano, Nova Iorque, ele se apaixona pela baywatch Pamela Anderson, e decide ir atrás dela em Los Angeles.

O sucesso da comédia Borat se deve muito ao talento de Sacha, um comediante sem medo do ridículo e com uma tremenda facilidade de se vestir da personagem. Outro grande ponto a favor é o ineditismo da trama, explorada a exaustão por programas de TV, mas nunca vista nos cinemas.

10 comentários:

Carla Martins disse...

Estou louca pra ver esse filme! Acho que vou adorar!

Beijo

Museu do Cinema disse...

É um filme muito doido Carla, mas rende boas gargalhadas com certeza.

Otavio Almeida disse...

Oi Cassiano! Eu adorei BORAT. Mas vi o filme numa pré (duas semanas antes da estréia) em um cinema onde TODOS riam descontroladamente... Revi BORAT em um cinema diferente, e a platéia não riu tanto assim... Eu ri tudo de novo! Quero dizer que o filme tem dividido opiniões...

Abs!

Museu do Cinema disse...

O filme é para rir muito, na sessão que peguei, com poucas pessoas, todos gargalhavam, tenho lido críticas positivas tb.

Marcus Vinícius disse...

O título desse filme é uma obra. Deve ser hilário, com certeza.

Saudações tricolores e até mais.

Museu do Cinema disse...

A produção toda desse filme é caprichada Marcus, eles compraram até videos de uma emissora polonesa falida, me lembra muito a produção dos filmes de Tarantino.

Saudações tricolores amigo!

Kamila disse...

Cassiano, fazia tempo que um filme não me fazia rir tanto. Acho que o grande barato de "Borat" é a espontaneidade dos entrevistados, é vê-los se revelando como são, sem estarem travados.

O Sacha Baron Cohen foi simplesmente genial nesse filme.

Museu do Cinema disse...

Concordo Kamila, o maior elemento do filme é mesmo o Sacha!

Túlio Moreira disse...

Cassiano, há muito tempo quero ir ao cinema só para rir - e rir muito - mas ainda não tive a oportunidade de conferir esse Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América. Espero que o personagem seja tão "discreto" quanto o título do filme, hehehhehee...

abs!

Museu do Cinema disse...

Rir muito com certeza Túlio!