10 fevereiro 2007

O Último Rei da Escócia

The Last King of Scotland – Kevin Mcdonald – 2006 (Cinemas)

Eu não vim aqui para discursar, eu vim para fazer”.

Idi Amin foi um dos grandes ditadores do mundo contemporâneo. Presidiu a Uganda de 1971 a 1979, quando foi exilado na Arábia Saudita. Tomou o poder graças também a ajuda da Inglaterra na luta armada contra o presidente Milton Obote, de quem era o chefe do exército. Matou mais de 300 mil pessoas. Para ler mais clique aqui.

Baseado no livro homônimo de Giles Foden, o filme usa de uma personagem fictícia para narrar a história do ditador sanguinário e louco de Uganda. O diretor escocês, Kevin Mcdonald, usa de belas imagens, uma ótima trilha sonora, composta de muitas canções africanas, e uma edição rápida e competente para entregar um filme sério e bem feito.

Nicholas (James McAvoy – imitando Tom Cruise) é um médico recém-formado. Filho de um renomado doutor, ele não quer seguir os passos do pai. Entediado, Nicholas resolve escolher um país no mapa, e vai parar na África, mais precisamente num vilarejo de Uganda para se juntar ao Dr. Merrit (Adam Kotz) e sua esposa Sarah (Gillian Anderson) nos cuidados a população pobre local.

Depois de assistir um discurso do novo presidente de Uganda no vilarejo, Nicholas e Sarah são levados pelo exército local para ver o presidente, que teria se ferido. Depois desse encontro, Nicholas recebe uma proposta de ser o médico oficial do presidente. Seduzido pela megalomania e presentes do chefe de estado, o jovem médico passa a nutrir uma forte amizade pelo presidente Idi Amin.

31 comentários:

romeika disse...

Vi esse filme ontem, e posso dizer que nao me surpreendi tanto pela atuacao do Whitaker, visto que o meu voto ainda vai pro Leonardo DiCaprio em "Os Infiltrados". Achei o filme "bom", com boas atuacoes, mas com um roteiro meio frouxo, nao gostei do rumo que a personagem da Anderson toma na historia (uma atriz cheia de potencial muito mal aproveitada). A surpresa ficou por conta da atuacao do James McAvoy, ator antes desconhecido pra mim (nao entendi a comparacao com o Cruise).

Túlio Moreira disse...

Megalomania. Ainda não vi o filme, mas pela sua resenha me parece que essa palavra resume bem O Último Rei da Escócia. Whitaker é um dos maiores atores da atualidade, mas por enquanto eu ainda estou com a Romeika: Leonardo DiCaprio.

(como assim, a atuação dele é parecida com a de Tom Cruise?)

Abs!

Kamila disse...

Eu não vi Whitaker ainda, e estou com Romeika e Túlio: a melhor atuação masculina do ano é a de Leonardo di Caprio em "Os Infiltrados".

Quero muito assistir "O Último Rei da Escócia" e, assim como Romeika, Cassiano, não entendi a comparação com Tom Cruise.

Alex Gonçalves disse...

Outro filme independente descartado por aqui. É um filme que assistiria com o maior prazer.
Também não entendi muito a comparação de semelhança de James McAvoy com Tom Cruise, rsrsrsrs...
Tudo de bom!

Túlio Moreira disse...

"Nicholas (James McAvoy – imitando Tom Cruise) é um médico recém-formado. Filho de um renomado doutor, ele não quer seguir os passos do pai. Entediado (...)". Agora acho que compreendi o que vc quis dizer, Cassiano. O papel parece muito com um personagem-a-ser-interpretado-por-Tom-Cruise e o ator James McAvoy fez exatamente isso. É mais ou menos isso?

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Romeika, será que vimos o mesmo filme?

Museu do Cinema disse...

Oi Túlio, incrivel que vc ache a atuação tão mecância de Di Caprio melhor que Withaker.

O James McAvoy imita todo o tempo o Tom Cruise, sorrindo, no modo de andar e até de dançar, o cara parece o Ben Stiller imitando o Tom Cruise no MTV movie awards, eu fico com o Stiller.

Museu do Cinema disse...

A comparação que faço é simples, o McAvoy imita o Tom Cruise, no sorriso, no modo de andar, falar e dançar. É isso!

romeika disse...

Cassiano, vimos o mesmo filme, sim, no entanto, tivemos impressoes diferentes. *lol* Simples assim. E viva o cinema!

Ahh..E o DiCaprio mecanico?? *ouch*
hehehe

Museu do Cinema disse...

Sim Romeika, o meu espanto foi vc falar mau do roteiro, já que é um dos pontos mais fortes do filme. Chamar ele de frouxo é um pouquinho demais, por isso meu espanto.

Quanto a Anderson, a personagem dela foi até longe demais, visto que não traria muitos elementos ao filme como percebemos no final, outro espanto meu vc comentar sobre isso.

O Leonardo Di Caprio vou deixar pra lá para vc não me achar chato demais...

Otavio Almeida disse...

Caracoles! Ainda não vi o filme... mas verei em breve, Cassiano. Deveria ter escolhido esse em vez da pré de DREAMGIRLS no sábado aqui em SP... "o horror... o horror..."

Abs!

Túlio Moreira disse...

Cassiano, vou anotar isso que vc escreveu:

"(...)o cara parece o Ben Stiller imitando o Tom Cruise no MTV movie awards, eu fico com o Stiller."

Simplesmente genial.

Abraço!

Museu do Cinema disse...

Poxa Otávio, é mesmo? Dreamgirls é uma porcaria? Não esperava essa! Mas esse filme vale a pena, é uma mistura de documentário da vida do Idi Amin com aquele filme Blow com o Johnny Depp e a Penelope Cruz (em termos de edição).

Pois é Túlio, agora entendeu o que quis dizer?

Túlio Moreira disse...

Positivo e operante!

Túlio Moreira disse...

A revista SET desse mês publicou duas entrevistas imperdíveis, intituladas "O Rei & a Rainha", com Forest Whitaker e Helen Mirren. São dois dos atores mais inteligentes do cinema atual.

Otavio Almeida disse...

Pois é... não gostei nada de DREAMGIRLS. Ô inferno!!! E olha que a sala inteira (ou 90% das pessoas) não aguentavam mais a Beyoncé cantar ou a Jennifer Hudson... as músicas são intermináveis e é filme para americano ver. Ou para fãs de soul e R&B. Há um fiapo de história e é tudo muito rápido e superficial...

Abs!

Museu do Cinema disse...

Concordo contigo Túlio, gosto do Withaker desde Bird, do Clint Eastwood, e se trabalhou com o homem é bom.

Otávio, vc jogou um balde de água fria em Dreamgirls, mas como nossos gostos não costumam bater vou pagar para ver o filme.

Otavio Almeida disse...

Hahahahhaha... mas a Jennifer Hudson é a melhor coisa do filme. Só que fico pensando: ela vai ganhar um Oscar pelo primeiro papel... e o que fará daqui pra frente? Não sei se a Jennifer Hudson consegue destaque em filme que não seja musical. Bons papéis femininos são cada vez mais raros. Mas ela é ótima! De qq forma...

Porém, não concordo com a indicação (e os prêmios) para o Eddie Murphy - ele é talentoso. Sempre foi. Mas seu trabalho consiste em imitar (ou se aproximar) o estilo de James Brown no palco. No filme, ele canta pacas e tem muita presença de palco. Eddie Murphy merece um Grammy, não um Oscar. Não me entenda mal - eu adoro o Eddie Murphy. Mas ele tem pouquíssimas cenas fora dos palcos... enfim... e viva a sala de edição! A montagem é um truque que salva DREAMGIRLS. Parece que empolga, mas engana. Lá pela metade, eu não aguentava mais os NO NO NO NO WAAAAAAAAAAAAY da Jennifer Hudson. Alguém no cinema foi bem estúpido e gritou "CALA A BOCA". Não é para tanto... educação é sempre bom, não? Mas...

Bom, agora me sinto mal por ter me irritado com MOULIN ROUGE e CHICAGO. Talvez eu deva rever esses dois musicais... perto de DREAMGIRLS, eles são O PODEROSO CHEFÃO I e II.

Abs!

Museu do Cinema disse...

Eu adoro Moulin Rouge e Chicago. Só não entendi o preconceito a O Poderoso Chefão III, ou vc é mais um daqueles que dizem que o 3º é ruim?

Kamila disse...

Ai, Otávio. Mesmo com sua crítica negativa à "Dreamgirls", eu ainda espero muito do filme.

A preocupação que você tem em relação à Jennifer Hudson (ganhar um Oscar pelo seu primeiro papel) deve ser uma preocupação geral da maioria dos votantes da Academia. Mas, eu acho que a Jennifer tem futuro. Após essa temporada de prêmios no cinema, ela vai se dedicar à gravação do primeiro CD, à turnê para promover esse trabalho. Depois, ela pretende fazer outro filme.

Acho que a Jennifer tem potencial para ter uma carreira de sucesso nos dois meios (cinema e música). Ela é uma atriz natural e acho que vai encontrar o espaço dela. E, se ela conquistar o Oscar de atriz coadjuvante, aí é que vão surgir mais propostas de filmes para ela.

Otavio Almeida disse...

Kamila, perdão! Assisti a DREAMGIRLS com muito carinho, mas não gostei. Espero mesmo que a Jennifer Hudson consiga fazer uma bela carreira. Ela é a melhor coisa do filme. Sem dúvida.

Cassiano, eu adoro O PODEROSO CHEFÃO III. Não separo muito um do outro. Embora o primeiro tenha mais importância em minha paixão pelo cinema...

É pq citei só dois filmes... para comparar... A cena final da Coppolinha morrendo na escadaria e o Al Pacino com o grito engasgado me corta o coração todas as vezes. É um final extraordinário para a trilogia. O PODEROSO CHEFÃO III é uma obra-prima - assim como os outros dois.

Museu do Cinema disse...

Ah sim Otávio, depois dessa te desculpo por não gostar de Magnólia.

Kamila, como sabe que a Hudson é ótima atriz?

Otavio Almeida disse...

Ah... e não esqueci da promessa. Vou rever MAGNÓLIA em breve.

Abs!

PS: O filme do Clint é maravilhoso!

Vinícius P. disse...

Não gostei tanto do filme, apesar da dupla de protagonitas estar em seus melhores dias (Whitaker principalmente). Entretanto, como filme histórico, achei bastante competente.

Kamila disse...

Cassiano, tive a oportunidade de ver algumas cenas do filme e gostei do que vi na Jennifer. Achei que ela tem um talento natural pra coisa.

Além disso, a menina tem levado todos os prêmios. Se ela não fosse talentosa, não seria nem considerada nessas premiações, não acha?

Museu do Cinema disse...

Não Kamila, não acho, visto que Mark Whalberg foi indicado ao prêmio. Até acho que a Jennifer Hudson tenha talento, mas não é uma indicação quem vai dizer, muito menos um filme apenas.

Kamila disse...

Eu achava que você gostava do Mark Wahlberg, em "Os Infiltrados".

Há muito tempo, Cassiano, deixei de acreditar que existem maus atores ou más atrizes. Tudo depende de um bom roteiro e de um bom diretor. Se o ator/atriz tem a oportunidade de ter esses dois elementos juntos, geralmente ele (a) revela um talento que não era percebido.

Não estou dizendo que isso é uma regra, sempre tem exceções, gente que tinha um bom roteiro, um bom diretor, mas não rendeu.

A Jennifer deu sorte de começar a carreira dela como atriz com o pé direito. O desenvolvimento do talento dela como atriz vai depender de suas futuras decisões, do tipo de carreira que ela quiser construir.

Museu do Cinema disse...

Kamila, fiquei preocupado, de onde vc tirou que eu gostei do Whalberg?!?

Eu discordo do seu pensamento, talento ou a pessoa tem ou não tem, até acredito que possa ser desenvolvido vá lá, mas ai vamos a mediocridade, que já estamos cheios. Eu, não sei porque, me acostumei com Jack Nicholson, Sean Penn, Al Pacino, Susan Sarandon e outros...

Kamila disse...

Eu sei que você não gosta de "Os Infiltrados", mas nunca vi você dizendo nada de mal a respeito de Mark Wahlberg no filme, por isso pensava que você gostava da atuação dele.

Museu do Cinema disse...

Eu disse que a única coisa que se salva no filme é a personagem e o Jack Nicholson.

Alias, a única coisa diferente do filme original.

Kamila disse...

Certo, Cassiano. Obrigada pelo esclarecimento.