27 janeiro 2007

Lolita

Lolita – Stanley Kubrick – 1962 (DVD) P&B

Nervoso e angustiado, um homem armado invade uma casa onde parece que acabou uma festa. Chamando, aos gritos, por Clare Quilty (Peter Sellers) ele vê um homem surgir de uma poltrona completamente embriagado. Quilty não acredita, ou a bebida o impede de enxergar que aquele homem está ali para assassina-lo pelo defloramento de uma linda jovem.

Baseado no famoso livro de Vladimir Nabokov, que ajudou na adaptação do roteiro, Lolita versa sobre o amor do Professor Humbert (James Mason) pela adolescente Dolores Haze (Sue Lyon), mais conhecida como Lolita.

Chamado para dar aulas na Universidade de Ohio, o Prof. Humbert decide alugar um quarto para passar alguns dias de férias. Visitando a casa da viúva Charlotte Haze (Shelley Winters), que aluga quartos para ganhar dinheiro, ele acaba se encantando com a jovem filha de Charlotte que toma sol no jardim.

A doce e nada inocente garota começa a provocar o professor, porém o interesse da viúva e o perigo da relação acabam fazendo Humbert optar pelo casamento com Charlotte para ficar mais perto da agora enteada.

O grande destaque do filme fica por conta de Peter Sellers, oscilando entre a comédia e o suspense, graças também a genialidade de Kubrick, Sellers consegue ser engraçado e as vezes maquiavélico dando a impressão de uma profunda falta de caráter. O filme, de 1962 tem muitos avanços para época, a linguagem cinematográfica de Stanley consegue se igualar a muitos filmes atuais, mostrando o lado vanguardista do cineasta norte-americano.
Veja aqui o primeiro curta-metragem do cineasta Stanley Kubrick.

24 comentários:

Kamila disse...

"Lolita" é um clássico do cinema e um dos muitos clássicos do Stanley Kubrick.

E que legal esse link para "Flying Padre", o primeiro filme dirigido pelo Kubrick. O material é interessante e nem lembra de longe o estilo pelo qual o Kubrick ficou conhecido. Vale somente pela curiosidade de ver o primeiro filme desse gênio do cinema.

Valeu pelo link, Cassiano.

Kamila disse...

Corrigindo o comentário acima "o primeiro filme de curta-metragem dirigido pelo Stanley Kubrick". ;-)

Túlio Moreira disse...

Cassiano,

preciso tomar um banho na sua água (como diz uma expressão popular aqui de Goiás) e fazer uma retrospectiva do grande mestre, urgentemente.

abraço!

Museu do Cinema disse...

Kamila, agradeça ao gremista Marcus Vinícius (http://caminoturno.blogspot.com/)

Túlio, vale muito a pena, não só de Kubrick, mas há algum tempo atrás vc falava sobre Hitchcock, o que houve?

Alex Gonçalves disse...

Dos poucos filmes de Kublick que eu acompanhei, este foi o meu predileto. O engraçado é que se trata de um de seus filmes mais comuns, mesmo que tenha sido considerado uma obra ousada na época de seu lançamento. Alguém já teve a oportunidade de ver a versão estrelada por Jeremy Irons?

Túlio Moreira disse...

Poisé, Cassiano, esperava encontrar os dvds de Sir Hitch nas Lojas Americanas d'aqui (aqueles de R$ 19,99), mas os principais filmes se esgotaram. Ainda tenho muito interesse de fazer algo assim, e, a medida que re-conferir alguns filmes de De Palma, faço já os textos para sua retrospectiva, ok?

abraço! bom domingo!

Túlio Moreira disse...

P.S.: "tentei" responder a sua pergunta lá no CK. Abraço!

pedrita disse...

eu só li o livro, não vi nenhuma das adaptações para o cinema. beijos, pedrita

Marcus Vinícius disse...

E após Lolita, ele faria em sequência 'Dr. Fantástico', '2001' e 'Laranja Mecânica', só os 3 melhores dele na minha opinião. Abraços tricolores.

Kamila disse...

Obrigada, então, ao gremista Marcus Vinícius. :-)

Romeika disse...

Cassiano, vi as duas versoes do filme para o cinema, e soh tenho a dizer que nenhuma delas conseguiu captar a essencia da obra do Nabokov, principalmente a do Adrian Lyne, que mas parece retratar uma historia de amor "normal". Se eu tivesse que escolher ficaria com a do Kubrick, que ainda merece aplausos por driblar a censura com inteligencia, a la Billy Wilder. Com relacao aos atores, prefiro muito mais a caracterizacao da Dominique Swain do que a da Sue Lyon, e prefiro a Charlotte da Melanie Griffith tb. Quem falhou foi o HH do Jeremy Irons, um grande ator que distorceu completamente a sua personagem (no filme eu fiquei torcendo pro safado se dar bem, pasme!!!). Culpa do Lyne?

Museu do Cinema disse...

Alex, vi sim a refilmagem do Lyne com o Jeremy Irons, gostei do resultado.

Pedrita, eu assisti as duas versões, mas nunca li o livro, acabei perdendo o interesse depois de ver os filmes.

Museu do Cinema disse...

Realmente Marcus. Eu é que acabei errando na sequencia, deveria ter postado Spartacus antes, mas enfim, segue assim.

Concordo com vc Romeika, vi as duas versões, mas não li o livro, um pecado realmente, mas acho a do Kubrick sensacional, gostei de seu comentário.

Túlio Moreira disse...

é, Romeika, eu acho que é culpa do Lyne sim. Bem, pelo menos o diretor tem que estar de olho pra ver se o ator está levando a personagem pro lado certo... Um bom diretor é, como Kubrick definiu, um bom diretor de atores.

Beijo!

Marcus Vinícius disse...

Não Cassiano, tá tri legal assim. Só quis enfatizar que ele fez três filmes ignorantemente espetaculares, (um talvez seja o melhor de todos os tempos) um atrás do outro. Saudações e té mais. =)

Museu do Cinema disse...

Bom Marcus, agradeço, o único porém é que ficou sem ordem cronologica.

Otavio Almeida disse...

Não sei ainda como fizeram aquela refilmagem tosca... odeio o Adrian Lyne!

Abs!

paula pavel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paula pavel disse...

já assistiu flores partidas?
eu achei que a filha de uma das personagens faz remake à lolita. (ou pelo menos gera uma lembrança).

Museu do Cinema disse...

Vi sim Paula, mas não senti isso, alguma cena em especial? Fiquei intrigado...

romeika disse...

Realmente a versao do Lyne eh podre. Ele abusou da liberdade artistica e acabou transformando "Lolita" em um filme pro-pedofilia, algo que o livro nao eh. Nao quero soar moralista, mas foi essa a impressao que eu tive. E concordo, Tulio, o Jeremy Irons eh bom ator demais pra estragar um personagem, soh pode ter sido culpa do Lyne..rsrsrs..

Museu do Cinema disse...

O Jeremy Irons é um grande ator, mas eu não acho o filme de Adrian Lyne tão ruim assim, é muito pior que o de Kubrick, sem dúvida.

romeika disse...

Eu nao acho o filme ruim, talvez tenha me expressado mal. O maior problema do filme foi ter distorcido a historia do livro... Nisso, o Lyne foi muito infeliz. Se vc tiver a oportunidade de ler o livro algum dia, vai entender o que eu estou dizendo, Cassiano. Beijos!

Túlio disse...

Aliás, quem foi o infeliz que deu a idéia de refilmar Lolita justamente para Lyne?