24 outubro 2006

Paixão a Flor da Pele

Wicker Park – Paul McGuigan – 2004 (DVD)

Outro filme que não souberam vender. A tirar pelo cartaz, pela sinopse da capa do DVD e pelo trailer, o suspense seria o local ideal para procura-lo na prateleira da locadora. Porém se trata de um romance quase água com açúcar, ou um romance do diretor de Xeque-Mate (2006), que começo a achar um cineasta com grife. Uma história de amor muito boa com um final adocicado e clichê, mas nem por isso ruim.

McGuigan escolheu Josh Hartnett como seu ator preferido. Aqui ele interpreta Matthew, um jovem executivo que, prestes para embarcar para China, revê um antigo amor num restaurante, apesar de não ter certeza que era ela, Matthew decide adiar a viagem para reencontra-la. Noivo de uma garota que não ama, ele ainda não esqueceu Lisa (Diane Kruger), um amor a primeira vista.

O cineasta escocês demonstra uma qualidade rara hoje em dia, o cinema de autor, aquele filme que no primeiro frame na tela você consegue descobrir de quem é. Raros os diretores que possuem essa qualidade atualmente.

Três filmes é a medida exata para reconhecer o talento de um cineasta. Paul McGuigan já pode ser colocado nesse patamar. Seu primeiro filme, infelizmente inédito no Brasil, The Acid House (1998), é considerado um belo trabalho de estréia, com temas polêmicos e dividido em três histórias, ele discorre sobre drogas e Deus. Depois da bela estréia, McGuigan realizou uma pequena obra-prima, Os Gângsteres (2000), com Malcolm McDowell. O filme mostrou ao mundo o talento do inglês Paul Bettany que mais tarde viria a interpretar o albino Silas de O Código Da Vinci (2006).

6 comentários:

Kamila disse...

Acabei de reler o texto que escrevi depois de ter assistido "Paixão à Flor da Pele" e estou surpresa em constatar que eu havia gostado desse filme. Eu pensava que não tinha gostado muito dele. Ele tem um elenco feminino muito bom (Jessica Parè, Diane Kruger e Rose Byrne), mas ainda acho o Josh Hartnett um ator em progresso e também foi interessante assistir o Matthew Lillard (o Salsicha dos filmes do "Scooby Doo") interpretando um papel adulto, para variar. Só essa decisão do Paul McGuigan já é totalmente intrigante. Vou procurar rever este filme para refrescar a minha memória.

Museu do Cinema disse...

Kamila, eu não gosto do Lillard, acho ele muito forçado, em qualquer papel, quanto ao Josh, confesso a vc que me surpreendi com ele nos filmes do McGuigan. Tanto esse quanto Xeque-Mate.

O elenco feminino é mesmo de primeira, tanto em beleza como em talento.

Anônimo disse...

Wicker park, em português " o apartamento". Gostei bastante do argumento e da forma peculiar como é tratado.

Kamila disse...

Cassiano, eu também não gosto do Lillard. Acho-o um dos piores atores que já vi na minha vida. Posso, como disse em meu comentário, achar o Josh Hartnett um ator "meia-boca", no entanto tenho que admitir que ele tem me surpreendido no que diz respeito à sua escolha de papéis. Ele realmente tem mostrado que quer trabalhar com bons diretores, boas histórias. Isso é louvável da parte dele.

Museu do Cinema disse...

Lua, o filme é realmente cheio de estilo próprio.

O título português O Apartamento é ótimo. De onde eles tiraram isso? Mas o nosso título tb não foi o melhor.

Mas fazer o que né? Wicker Park - Ponto de Encontro?

joeerick300 disse...

Eu assisti esse filme....
e achei muito bom mesmo um dos melhores q jah assisti....emprestei para muita gente...e todo mundo gosto.
vejo alguns filmes como crepusculo
fazendo sucesso....com historias Horríveis...nao consigo entende esse povo...faze o q...