21 setembro 2006

Carne Trêmula

Carne Trémula – Pedro Almodóvar – 1997

O espanhol Javier Bardem é de longe o melhor ator de língua hispânica da atualidade, Carne Trêmula é o primeiro filme onde seu talento é notado, depois de se destacar em Jamon, Jamon (1992) de Bigas Luna. Bardem interpreta o deficiente físico, papel semelhante ao que, sete anos mais tarde, iria lhe dar fama no sensacional Mar Adentro (2004), David, um policial que ficou paraplégico depois de receber um tiro.

No fim do regime do ditador espanhol Franco, a prostituta Isabel (Penélope Cruz) começa a sentir as contrações do parto. Ajudada pela cafetina Centro (Pilar Bardem – mãe de Javier) Isabel dá a luz a um filho no ônibus que iria leva-la ao hospital. A criança é batizada com o nome de Victor.

Alguns anos mais tarde...

David e Sancho são dois policiais de Madrid, Sancho é alcoólatra e desconfia que sua esposa, Clara (Ángela Molina) tem um caso. Embriagado, ele resolve atender um chamado de distúrbio num apartamento, apesar da relutância do parceiro em esperar reforço policial. No local, Helena (Francesca Neri), bastante drogada discute com Víctor (Liberto Rabal), um entregador de pizza com quem Helena teve relações sexuais dias antes numa boate.

Depois desse dia, as vidas de Helena, David, Víctor, Sancho e Clara irão se cruzar para sempre.

O filme, baseado no livro Live Flesh (Carne Viva) da famosa escritora inglesa Ruth Rendell, especialista em romances policiais, ganhou adaptação nas mãos de Almodóvar que levou a história para sua Madri, uma espécie de Nova Iorque de Woody Allen. A presença da bela atriz italiana Francesca Neri ajuda a criar a alma feminina tão comum nas películas do diretor. A sua cena de sexo que é usada no cartaz é das mais belas do cinema mundial.

A fotografia do filme é do carioca Affonso Beatto, em sua segunda colaboração com o cineasta madrileno, antes haviam feito A Flor do Meu Segredo (1995).

6 comentários:

Kamila disse...

Eu gosto muito desse filme e, em particular, da atuação do Javier Bardem.

E ouso dizer que prefiro Penelope Cruz nos seus filmes espanhóis. Ela não deveria tentar a transição para os filmes hollywoodianos, pois ela não tem sorte com as suas escolhas por lá.

Na Europa, ela tem a oportunidade de fazer papéis desafiadores e que fazem jus ao talento que ela possui.

Museu do Cinema disse...

Concordo integralmente com vc Kamila, vou além, já é comprovado que Hollywood "poda" o talento de atores e diretores europeus, é raro casos bem sucedidos. Penelope Cruz e Antonio Banderas, só pra ficarmos nos atores Almodovarianos.

Não é a toa que Cruz está sendo cotada (pela imprensa) para ser indicada ao Oscar por sua atuação em Volver, que falarei em breve.

Kamila disse...

Exato, Cassiano. Li um post num blog que acompanha os award shows e que dizia que a Penélope não está só cotada para ser indicada ao Oscar por "Volver", como também a vencer o prêmio da crítica de NY.

Você sabe quando "Volver" estreará no Brasil?

Museu do Cinema disse...

10 de Novembro provavelmente Kamila, mas ele já está sendo exibido no Festival do Rio.

antônio josé disse...

que mulher linda cassiano. olhos verdes, lábios grossos, uma diva.

Museu do Cinema disse...

concordo!!!