05 abril 2006

CSI

CSI (Crime Scene Investigation) Grave Danger – Quentin Tarantino – 2005

“É um certificado de propriedade honorária do Trigger. O cavalo mais esperto do cinema, emitido por Roy Rogers. Roy achava que as crianças da América eram as donas verdadeiras do Trigger. Quem escrevesse pra ele recebia o certificado.”

Quentin Tarantino em sua curta, mas notável filmografia, fez homenagens a muitos cineastas, estilos e filmes. Nesse episódio da série ele resolveu homenagear Kill Bill, seu último longa-metragem. Para começar o título faz menção a maravilhosa cena do enterro de A Noiva (Uma Thurman), ver post anterior, que é o ponto central da trama.

Nick Stokes (George Eads), um investigador do CSI, é seqüestrado numa perícia que parece ter sido armada para realizar o seqüestro. O seqüestrador o enterra vivo num caixão de acrílico com uma arma, uma webcam e ar para que ele não morra rapidamente, e envia a equipe da CSI o pedido de resgate e um pendrive para que assistam a agonia do colega.

As digitais de Tarantino está em todas as partes do episódio, que foi dividido em duas partes, igual a Kill Bill, cortado em dois volumes. Ao final da primeira parte uma grande surpresa. Outra homenagem é a Pulp Fiction, na cena que Nick, dentro do carro canta “Lucky Too” do cantor folk, pintor e parceiro de Bob Dylan, Bob Neuwirth, lembrando a cena de Butch Coolidge (Bruce Willis) cantando “Flowers on the Wall” do The Statler Brothers. E não para por ai, as referências Tarantinianas também estão presentes, Roy Rogers, Frank Gorshin, o charada da série Batman, Tony Curtis, músicas como “Lucky Too”, já citada e “You don’t stand na outside chance” do Turtles, há também o jogo “The Duke of Harzard”, e ainda uma homenagem a David Lynch, que já fora homenageado em Jackie Brown na personagem de Beaumont (Chris Tucker) nome da personagem de Kyle MacLachlan em “Veludo Azul”, um personagem saído dos filmes de Lynch, o advogado anão vestido de cowboy.

Para quem nunca assistiu a série, o CSI é uma equipe especializada em solucionar e encontrar pistas em cenas de crimes. Gil Grissom (William Petersen) é o chefe workholic do departamento, Catherine Willows (Marg Helgenberger) é a sua assistente e braço direito. Eles dirigem uma equipe com especialistas em todas as áreas.

Um comentário:

Kamila disse...

CSI, para mim, perdeu o encanto como série há muito tempo. Mas, eu assisti ao "Grave Danger" e foram um dos poucos momentos bons da televisão norte-americana no ano passado. Tarantino é realmente um gênio.